Quarta, 06 de Julho de 2022
Follow Us

Quarta, 11 Mai 2022 13:30

Manuel Tavares acusado de pretender “ludibriar” Chefe de Estado angolano para tirar proveito nos apartamentos da “Vida Pacifica”

O ministro das Obras Públicas e Ordenamento do Território, Manuel Tavares, está a ser citado, em determinados círculos do seu pelouro e da sociedade civil angolana, como estando a aproveitar-se da estreita relação com o Presidente da República, João Lourenço, para abusar da sua confiança.

Manuel Tavares de Almeida, mestre em engenharia de construção civil, é apontado como amigo de alta confiança do Chefe de Estado angolano, o que lhe torna numa personalidade arrogante e causador de atritos com outros membros do governo.

Segundo denúncias, o ministro Manuel Tavares, pretende mais uma vez usar da sua aproximação privilegiada com o Presidente da República, para "açambarcar" a seu favor, oito dos dez edifícios da urbanização “Vida Pacífica", localizada no distrito do Zango Zero em Viana, entregues aos jovens de diferentes extractos sociais por João Lourenço. Consta que, a ambição do ministro Tavares, ficou patente nesta terça-feira, 10, do corrente, após visita aos imóveis em reabilitação, na sequência de vandalização por ocupantes ilegais.

Contrariamente ao plasmado no contrato em posse dos futuros moradores da urbanização, há mais de um ano, o ministro Manuel Tavares, garantiu apenas à imprensa a entrega de dois edifícios dos dez disponibilizados à juventude que diariamente alimenta o sonho da casa própria.

“(...) até Junho vamos entregar dois edifícios e o restante só no fim do ano”, disse.

A promessa do ministro está a ser entendida pelos promitentes compradores (os jovens), como uma fuga para frente, visando ludibriar a opinião pública e o Presidente João Lourenço sobre a entrega na totalidade das habilitações.

“Ao entregar somente dois edifícios, o ministro quer passar a ideia ao chefe dele que, as casas dos jovens já foram entregues para em seguida ele ficar com os outros oito prédios”, acusam os jovens que prometem manifestações para exigir acesso imediato e em simultâneo a todos os beneficiários.

Recentemente, o ministro Manuel Tavares de Almeida que também é afilhado de casamento do Presidente da República, João Lourenço, nomeou o seu genro, antigo funcionário da AGT, Edson Vilhena para o cargo de Administrador para Área financeira do Fundo Rodoviário é Obras de Emergências, contrariando a orientação do Presidente da República sobre o combate ao nepotismo e outros males nocivos a governação transparente.

Rate this item
(0 votes)