Quarta, 05 de Outubro de 2022
Follow Us

Depois de quase 50 anos de dor , humilhações , injustiças e mortes de angolanos de todas as maneiras . Feitio , momentos e circunstâncias eu acho que essa do 24 de Agosto que deu vitória esmagadora a UNITA e mesmo assim não estar a governar Angola.

Nas últimas semanas de Agosto e Setembro o Kremlin aumentou a sua retórica entorno da possibilidade de usar armas nucleares na Ucrânia…, mas tudo isso é apenas retórica ou existem possibilidades reais para tal efeito?

Sexta, 30 Setembro 2022 13:38

A verdade da mentira do conselheiro

Os que acompanham ao longe e/ou de perto o articulista Ismael Mateus, percebem de imediato que sim, o jornalista ignora com invulgar desfaçatez, as realidades prementes que as constantes turbulências criadas pelo líder do seu partido têm deixado o país cheio de mazelas gravosas no tecido da nossa expressiva angolanidade, inclusive quando nas vestes de presidente da república.

Antes de mais, é bom ressaltar que a prestação de contas dos partidos se diferencia da prestação de contas da campanha eleitoral, uma vez que esta última é regulamentada pela Lei n.° 36/11, de 21 de Dezembro - Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais, artigo 80.°- 85.° e tem como finalidade primordial exercer o controle financeiro do processo eleitoral, de forma a impedir o abuso de poder, notadamente aquele de carácter econômico, bem como garantir a igualdade entre as formações concorrentes.

Uma das conclusões extraídas das últimas eleições é que as duas principais formações políticas do sistema político angolano, o MPLA e a UNITA, estão “politicamente esgotadas”.  O MPLA, pelo desgaste inerente ao longo e problemático consulado (no poder), e a UNITA, pela incapacidade de concretizar a alternância política, pois, para desilusão de muitos angolanos, também não resultou em mudança de poder a “fórmula gregária UNITA/FPU” que experimentaram como se fosse “a última tábua de salvação”.

Apesar de roubado nas urnas, o povo festeja alegre com a UNITA/FPU a verdade eleitoral desviada com finalidade confessa. Existem razões de sobra para o povo manifestar o seu desagrado, e continuar destemido a denunciar o afrontoso roubo eleitoral, preparada pelo partido do regime.

Em política o verdadeiro político é aquele que sabe dominar os parâmetros estratégicos em direcção ao poder para uma melhor Administração do Estado, mas estes parâmetros devem ser bem elaborados tanto no início, durante o percurso e no desfecho de todo o processo, ler os sinais dos tempos, entender os fenómenos sociais, convencer o público a seguir os teus ideais, propósitos, programas de governação, ter competência e capacidade suficiente em todos os sentidos e âmbitos para no fim se puder mostrar resultados, é assim que funciona a política, é feita de resultados.

Domingo, 18 Setembro 2022 13:53

Angola: aplaudir uma mentira

"O vencedor perdeu" foi como a Economist titulou a sua análise às eleições gerais em Angola, realizadas no mês passado e envoltas em séria controvérsia desde então.

Página 1 de 296