Sexta, 18 de Junho de 2021
Follow Us
Sexta, 04 Junho 2021 15:49

Traídos pela opulência

Os últimos casos suspeitos de assaltos ao erário apenas confirmam o que a generalidade dos angolanos sabe, que o combate à gatunagem de “colarinho branco” está para durar, tantos são aqueles que os praticam.

Quem já jogou xadrez já deve ter se apercebido de que João Lourenço não está em condições de dar o xeque-mate, antes pelo contrário na minha opinião Pedro Sebastião se usar a tática das 4 dobras ainda pode derrota-lo.

Nos últimos meses, emergiu em Angola uma espécie de febre cívica traduzida no uso de boinas vermelhas e verdes. Nas poses fotográficas rapazes e raparigas apresentam-se de punho cerrado erguido, exibindo uma mensagem anímica de luta, sim, de combate.

Mesmo não sendo jurista, sei que um dos princípios que rege (ou deveria) a Justiça é o distanciamento das emoções, porque a sua base de sustentação é a lei e não sentimentos individuais ou mesmo de grupos.

Em decorrência do furacão Lussati, a 24 de Maio, o Presidente da República procedeu às exonerações dos Tenentes Generais Ernesto Guerra Pires, do cargo de Consultor do Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Angelino Domingos Vieira, do cargo de Secretário para o Pessoal e Quadros da Casa de Segurança do Presidente da República, José Manuel Felipe Fernandes, do cargo de Secretário-Geral da Casa de Segurança do Presidente da República, João Francisco Cristóvão, do cargo de Director de Gabinete do Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Paulo Maria Bravo da Costa, do cargo de Secretário para Logística e Infraestruturas da Casa de Segurança do Presidente da República e do Brigadeiro José Barroso Nicolau, do cargo de Assistente Principal da Secretaria para os Assuntos dos Órgãos de Inteligência e Segurança de Estado da Casa de Segurança do Presidente da República.

João Lourenço atropelou a verdade sem nenhum rebuço, manipulou a memória trágica do passado e o que conseguiu, afinal de contas, foi deixar a sociedade angolana ainda mais escrava da dor.

As lutas por "protagonismos palacianos" sempre foram uma maka no seio do MPLA desde o alcance da Independência em 1975.

Hoje acordei com o objectivo de escrever sobre um acontecimento importante na História de Angola. Sim, hoje, segunda-feira, 31 de Maio de 1991, cumprem-se 30 anos da celebração dos Acordos de Bicesse, o instrumento político-jurídico através do qual foi viabilizada a transição da República Popular de Angola (de matriz comunista) para a República de Angola (Estado democrático de direito).

Página 3 de 259

Log in or Sign up