Sexta, 09 de Dezembro de 2022
Follow Us

Terça, 21 Junho 2022 14:43

Artista angolano contesta obras de usd 85 milhões à Mitrelli para fazer da antiga AN Palácio da Música

O artista angolano, OG Vuino, através do seu Instagram, manifestou-se profundamente chocado está terça-feira, 21 de junho, pelo facto de, o Grupo Mitrelli ter sido escolhido para transformar a antiga sede da Assembleia Nacional em Palácio da Música e do Teatro, por 85 milhões USD.

Dados divulgados nesta terça-feira, 20 avançam que o valor do contrato para a transformação da antiga sede da Assembleia Nacional, com a implementação do conceito da Casa da Música está no valor de 85 milhões de dólares norte-americanos, acrescidos dos 14% do Imposto Sobre o Valor Acrescentado (IVA).

Segundo constatou Angola24horas, o artista afirmou que em Angola não há uma sala condigna de espetáculos, alertando, na ocasião que, com 85 milhões de dólares dá para construir pelo menos 18 estúdios comunitários, um em cada província do país.

"85 milhões de USD dá para fazer 18 estúdios comunitários um em cada província, com sala de aulas para formar criativos que vão contribuir com impostos para o país, com museu da nossa música com sala de espectáculos. Com regras e estatutos que cobrem e paguem os nossos direitos autorais para deixarmos de ser uma classe pedinte", apelou.

Também, o artista dos Calibrados, OG Vuino, manifestou solidariedade para com o kudurista Nagrelha dos Lambas, que se encontra, por esta altura internado, em Luanda, no Complexo Hospitalar de Doenças Cardiopulmonares, em fase de recuperação.

Ainda agora, disse, temos um irmão artista que todos amamos que se tivesse um seguro de saúde e consultas regulares não estava numa cama de hospital estava no palco, enquanto vocês fazem campanha política.

"E se a arte não é importante, desafio a todos partidos políticos, repito todos a fazerem comícios populares sem música, sem músicos sem animadores culturais ou sem DJ’s. E nós queremos por 85 milhões de USD num só lugar? Quando não temos uma só sala digna de espetáculos em Angola? Que cultura afinal queremos? Que sentido devemos afinal caminhar? Ouviram quem da classe? Baseado em que factos?", questionou Vui Vui.

Oportunamente, revelou que havia feito um pedido, que passou publicamente em rede nacional, durante o encontro entre a Juventude angolana com o Presidente da República, João Lourenço, onde falou sobre a cobrança dos direitos autorais.

OG afirma que pediu apoio na resolução de cobranças de direitos autorais, (já vamos no 3º ministro nada), acrescentando que os artistas pediram um fundo "e sabemos que há muitos perdidos, onde possamos de forma organizada contemplar toda classe."

"Quando eu falo de classe não é só dos cantores nós somos muitos mais inclusive arrisco dizer somos grãos de areia que fazem dunas na economia nacional. Deixo aqui alguns para elucidar cantores, escritores, compositores, realizadores e guionistas, produtores de rádio e TV apresentadores, técnicos de luz e som, decoradoras, fashion designer, dançarinos, actores, fotógrafos e muitos mais…. somos muitos", desabafou.

Por outra apelou que um país sem cultura é como uma pessoa sem alma. "Olhem para nós de forma séria, por favor, tenho dito".

Vale referir que que, para efectivação da obra, a Ministra das Finanças, Vera Daves, está autorizada a disponibilizar os recursos financeiros necessários para implantação dos contratos, já que ao Ministro da Cultura compete subdelegar para aprovação das do procedimento.

Rate this item
(1 Vote)