Terça, 07 de Fevereiro de 2023
Follow Us

Sábado, 23 Novembro 2013 12:47

Uma hora após manifestação em Luanda, polícia continua a impedir ajuntamentos

Dezenas de manifestantes concentraram-se hoje de manhã junto ao cemitério de Santana, em Luanda, para participar numa manifestação promovida pela UNITA e proibida pelo Ministério da Interior, que acabou por ser interrompida por disparos da polícia.

Uma hora depois do fim da concentração, o reporter da agência Lusa constatou que a polícia continua no local para garantir que não há ajuntamentos: um helicóptero mantém-se a sobrevoar a zona e os disparos também se ouvem de vez em quando.

A concentração estava inicialmente marcada para as 09:00 (hora local), junto ao cemitério de Santana, e, por volta das 13:00, os manifestantes fariam um percurso até ao centro da cidade, num protesto contra os raptos e torturas. No entanto, a atuação da Polícia de Intervenção Rápida acabou por alterar os planos.

Presidente da Unita ,Samakuva declara fim da manifestação e reconhece que o povo cumpriu. Pede que os manifestantes regressem às casas. Entretanto, a policia nacional disparou granadas de Gas lacrimogêneo contra o Presidente Samakuva, quando este se encontrava junto as bombas de combustíveis da Sonangol aos Congolenses aonde acabava de chegar e era aclamado por manifestantes. A Policia que tinha orientação de disparar não hesitou e atirou contra o líder da UNITA.

 

LUSA/Unita

Rate this item
(0 votes)