Quarta, 28 de Outubro de 2020
Follow Us

Sexta, 17 Julho 2020 01:56

Polícia obrigada a intervir no funeral de jovem morto a tiro por um agente

Foi a enterrar, ontem, o jovem José Teokamba Manuel, de 23 anos, morto a tiro por um agente da Polícia no bairro Prenda. A manifestação da população, revoltada com a morte do jovem, durante cortejo fúnebre obrigou a Polícia a intervir

O clamor por justiça, em coro, “invadiram” as janelas dos lotes durante o cortejo fúnebre do jovem, também conhecido por Aricleide, com mais de cinco dezenas de pessoas, e sem a observância das medidas de segurança por conta da Covid-19. O povo do Prenda, nos Lotes 9 e 10, está revoltado pela forma como José Teokamba Manuel foi morto e exige que o autor dos disparos seja responsabilizado.

“Justiça, Justiça, justiça”, ouvia-se a população, num cortejo que a Polícia teve de intervir para manter a ordem e tranquilidade, embora muitos não concordassem com a presença das forças policiais, uma vez que foi um agente da corporação quem fez os disparos que vitimaram mortalmente José e deixou ferido o seu amigo.

O facto aconteceu na madrugada do dia 12, Domingo, quando agentes da Polícia Nacional, no cumprimento da fiscalização das medidas a vigorar durante a Situação de Calamidade Pública, efectuavam serviço de patrulhamento na zona, e depararam-se com um aglomerado de jovens, em horário e local não autorizados. Um dos agentes fez disparos, no sentido de dispersar os jovens, e acabou atingindo José e um seu amigo.

O primeiro jovem acabou perdendo a vida, sendo que o segundo, Maurício José, de 17 anos, ficou ferido e foi prontamente socorrido numa unidade hospitalar.

A população local diz ter havido excesso por parte da Polícia, pois não havia necessidade de se fazer disparo, e por isso, isso causou revolta ao ponto de saírem em manifestação.

A Polícia Nacional em Luanda, na voz do porta-voz, Nestor Goubel, reconheceu o facto e acrescentou que na intervenção dos agentes, por imprudência, um dos efectivos efectuou disparos com arma de fogo, atingindo, mortalmente, o cidadão ora citado.

O porta-voz disse ainda que o autor dos disparos, agente da Polícia, já se encontra detido, para responsabilização disciplinar e criminal. OPAIS

Rate this item
(2 votes)

Log in or Sign up