Sexta, 12 de Abril de 2024
Follow Us

Sexta, 18 Agosto 2023 11:10

PGR remove viaturas de empresa arrolada ao caso Major Lussati no Lubango

Catorze viaturas avaliadas em mais de um milhão de dólares foram, quinta-feira, à noite, removidas de uma concessionária, no bairro Tchioco, arredores do Lubango, na Huíla, no quadro da Lei de Repatriamento Coercivo e Perda Alargada de Bens, após leilão.

Trata-se de uma operação, segundo uma fonte do Serviço Nacional de Recuperação de Activos (SENRA) da Procuradoria-Geral da República (PGR), que envolveu a retirada de bens da empresa Samoma BIG Limitada, arrolada no processo “Major Lussati”.

O suposto envolvimento da referida sociedade comercial no "Caso Lussati" remonta a Julho de 2021, quando o estabelecimento foi alvo de buscas e apreensão ordenada pelo Serviço Nacional de Recuperação de Activos, sob alegação de que teria beneficiado de recursos desviados pelo cidadão José Tchiwana, arguido no referido processo.

Desde que despoletou o referido processo-crime e ter sido arrolada no mesmo, o proprietário, Jacinto Inácio Samoma, disse, em entrevista à Rádio nacinal de Angola, nunca ter sido ouvido durante a instrução do processo.

Segundo a PGR, a empresa Samoma BIG Lda, um estabelecimento comercial de venda de automóveis, criada em 2011, por Inâcio Samoma, “é terceiro de má-fé”, conforme a Lei n.º 15/18, de 26 de Dezembro, sobre o Repatriamento Coercivo e Perda Alargada de Bens.

O principal arguido do caso, Pedro Lussati, foi condenado, a 10 de Novembro de 2022, a 14 anos de prisão e 100 dias de multa pelos crimes de peculato, fraude no transporte de moeda e branqueamento de capitais.

Rate this item
(1 Vote)