Sábado, 02 de Março de 2024
Follow Us

Quarta, 09 Agosto 2023 20:21

Governador do Zaire espantado ao presenciar tráfico de combustível

Num video partilhado recentemente nas redes sociais, Adriano Mendes de Carvalho é visto junto de oficiais superiores e generais, num posto fronteiriço, a manifestar-se desapontado com o que acabava de assistir.

O Governador da província angolana do Zaire pode ter sido o primeiro governante a testemunhar o modo como o combustível é traficado de Angola para os países vizinhos e o facto de altas patentes das Forças Armadas e da Polícia da Guarda Fronteira nada fazerem para o impedir.

Num video partilhado recentemente nas redes sociais, Adriano Mendes de Carvalho é visto junto de oficiais superiores e generais, num posto fronteiriço, a manifestar-se desapontado com o que acabava de assistir.

“Como é que este grande camião da RDC, sem matrícula, passou ? E depois carregou atrás de nós e saiu com combustível, quero entender", desabafou o governador.

Nesta quarta-feira,9, a Voz da América contactou o governante a partir da cidade do Lubango e, sem gravar a conversa, assegurou que medidas estão ser tomadas, mas não avançou mais detalhes.

Para o ativista social Raul Paulo, residente no município do Soyo, província do Zaire, “o tráfico de combustível é alimentado por uma rede composta de patentes altas da Polícia e das Forças Armadas que, por sua vez, têm grupos de cidadãos da RDC ao seu serviço e que controlam este comércio”.

“E quando se trata de um pacato cidadão este é preso, julgado e condenado”, disse aquele ativista.

O analista político Ilídio Manuel também entende que nada a acontece sem a “conivência das autoridades locais e das forças de defesa e segurança que permitem que o negócio propere”.

Por seu lado, no entender do jurista Pedro Capracata, “ o governador sabe que os camiões são dos seus camaradas e, a partir deste pressuposto, ele não pode fazer nada”.

Nos últimos tempos têm havido vários relatos de tráfico de combustível na fronteira entre Angola e a República Democrática do Congo. VOA

 

Rate this item
(0 votes)