Sexta, 01 de Março de 2024
Follow Us

Quarta, 22 Fevereiro 2023 13:01

UNITA lamenta que Angola continue "sem rumo" seis meses passados das eleições

A UNITA, maior partido da oposição angolana, considera que, seis meses após as eleições gerais de 2022, Angola “continua sem rumo e a vida dos angolanos estagnada e sem futuro” e apela a aposta "séria" na agricultura.

Reunido na V reunião ordinária, o comité permanente da Comissão Política da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) concluiu que “o regime continua sem vontade política para a realização das eleições autárquicas, em Angola”, continuando o país a ser o único que, na região austral africana, “não institucionalizou o poder local, 47 anos depois da independência, com implicações gravíssimas sobre o desenvolvimento local e combate às assimetrias”.

Na reunião, os participantes analisaram igualmente a situação económico-social do país, tendo expressado a sua preocupação “perante a degradação das condições sociais e económicas das populações angolanas, com o custo de vida insuportável para a maioria das famílias”.

“O comité permanente da Comissão Política considerou que as medidas económicas adotadas pelo atual regime, além de paliativas e efémeras, não são consistentes por assentarem em fatores insustentáveis como a importação”, refere o comunicado.

Para o segundo maior partido político de Angola, “só uma aposta séria e um investimento decisivo na agricultura e pecuária podem garantir a produção de alimentos para o sustento das famílias angolanas”.

No que se refere à vida interna do partido, o comité permanente da Comissão Política felicitou o líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior, “pela forma sábia, corajosa e clarividente como tem conduzido o partido perante as adversidades impostas pelo regime”.

“Especialmente, enaltece a sua visão estratégica que culminou com a criação da Frente Patriótica Unida, como plataforma certa para a concretização da alternância em Angola”, realça o documento.

O relatório das atividades do secretariado executivo do comité permanente da Comissão Política, desenvolvidas no último trimestre e o programa para os próximos três meses deste ano foi aprovado por unanimidade.

Sobre a situação internacional, o comité permanente da Comissão Política da UNITA exprimiu a sua solidariedade para com as vítimas do terramoto da Turquia e Síria e das calamidades de Moçambique e do Brasil.

A guerra entre a Ucrânia e a Rússia foi igualmente abordada no encontro, tendo a esse respeito o Comité Permanente da Comissão Política apelado à Organização das Nações Unidas para promover um plano de paz, que ponha termo a este conflito que causa milhares de mortos e milhões de deslocados e refugiados.

Rate this item
(0 votes)