Quarta, 17 de Agosto de 2022
Follow Us

Quinta, 06 Janeiro 2022 16:10

MPLA acusa Padre católico de estar ao serviço da oposição para derrubar o partido no poder

O Comité Provincial do MPLA, no Kwanza-Sul, divulgou uma nota de repúdio sobre os pronunciamentos do padre católico, Joaquim Matias, aquando do seu discurso na missa de celebração do Dia Mundial da Paz.

Segundo adiantou a Rádio Despertar, o Padre Joaquim Matias, no seu discurso na missa de celebração do Dia Mundial da Paz, defendeu o diálogo entre gerações e falou da importância da "despartidarização das instituições do Estado".

O MPLA, reagindo através de um considerado contundente comunicado, acusou o Sacerdote da Igreja Católica de manifestar ódio contra o MPLA e de estar a fazer campanha para o maior partido da oposição angolana, UNITA.

De acordo com a nota, o sacerdote, dentre vários pronunciamentos, terá dito que é necessário acabar com o orgulho do MPLA, que partidarizou as instituições e, com isso, nem os tribunais funcionam.

"O MPLA partidarizou a comunicação social", disse, apelado que todos aproveitassem o presente ano eleitoral para a mudança.

A nota explica por outra que, o posicionamento político e partidário do padre, viola a laicidade do Estado angolano e que nas declarações do Padre se denota uma antecipada campanha de solidariedade e de apoio à oposição contra o MPLA, pelo que repúdia tais pronunciamentos.

Muito recentemente, analistas políticos e várias outras entidades consideraram que os dirigentes do MPLA, partido no poder em Angola, têm hostilizado a chamada de atenção da igreja católica.

Em dezembro do ano passado, por exemplo, o arcebispo emérito da província do Lubango, Dom Zacarias Kamwenho, criticou o Executivo angolano, tendo acusado o Presidente da República, João Lourenço, de estar a fazer de Angola o "seu colégio privado".

Dirigindo-se ao titular do poder Executivo, o Arcebispo disse, entre outras coisas, que "Angola está cansada de ser um colégio privado do MPLA".

Rate this item
(0 votes)