Sexta, 19 de Abril de 2024
Follow Us

Sexta, 03 Fevereiro 2023 14:13

Descoberto esquema de desvio de dinheiro no 1° de Agosto e é novamente citado oficial do SIC recém-promovido pelo PR

Um cidadão nacional, identificado como Man Genas, membro de uma antiga gangue de Luanda e atleta de Hokey em Patins, pelo Clube dos Militares, revelou, esta quinta-feira ter descoberto um esquema de desvio de milhões de dólares naquela agremiação, com total envolvimento de generais.

Segundo soube o Angola24Horas, através de um vídeo na sua posse, este cidadão, na condição de atleta de grande destaque e melhor marcador, sempre esteve perto de entidades com altas patentes nos ministérios da defesa e do interior, relação que veio a esfriar-se após abrir a boca ao público, denunciando tudo o que sabia destes oficiais.

A título de exemplo, segundo afirmou, descobriu numa reunião a existência, na lista de jogadores mais de 100 atletas, alguns desses com salários de até 5 milhões de dólares, o que não deixou satisfeito o Man Genas, visto que este e tantos outros auferiam perto de 600 mil kzs.

Das buscas deste, veio então à tona que havia mais de 30 jogadores fantasmas que recebiam mais dinheiro do que os jogadores oficialmente conhecidos e destacados. Genas afirmou que, depois de ter se mostrado insatisfeito e exigido a reposição dos factos, foi aconselhado a atacar o general (Jeny). Entretanto, o general Eugénio Quaresma (Jeny), convencido de que já o esquema havia sido descoberto, concedeu-lhe 19 cartões de crédito dos referidos fantasmas.

Foi então que, o atleta do Clube dos militares decidiu denunciar o esquema dos generais, ao suposto amigo, Fernando Manuel Bambi Receado, na altura Director Provincial do Serviço de Investigação Criminal da Delegação de Luanda, sem ter noção de que este oficial do SIC fazia parte do esquema.

De Fernando Receado, Man Genas afirma ter descoberto que 4 dos vários jogadores fantasmas eram seus familiares, tendo sido por isso que, ao invés de abertura de inquérito e ou investigação junto do Clube, este oficial optou por contar aos generais sobre as denúncias feitas pelo atleta, cuja intenção foi frustrada “e começaram os problemas para o frontal e destemido Genas”.

“Antes eu não estava a entender nada. Agora percebo tudo. Eu choco mesmo muito com esses cotas. Eles sabem eu gosto de fazer as coisas direito, não sou falso”.

A partir desta altura, segundo conta, começou a sentir a mão pesada dos seus dirigentes bem como o seu afastamento junto do SIC, por quem nutria grande estima, o que lhe colocou na condição em que se encontra.

De seguida, Man Genas diz que começou a ser caluniado por meio de fortes acusações de estar a assaltar em residências, de modos a empurrâ-lo novamente no mundo da criminalidade, quando este diz saber quem verdadeiramente estava por detrás de tudo isso.

De realçar que, muito recentemente, este mesmo atleta usou as redes sociais para veicular uma gravação em vídeo a denunciar uma rede de traficantes que envolve oficiais de alto escalão do SIC, tendo sido citado o actual Director geral-adjunto do Serviço de Investigação Criminal, Fernando Manuel Receado.

Sobre a muito criticada nomeação do oficial que, até prova em contrário é inocente das acusações, o analista político e jornalista angolano, Graça Campos, comentou que, “ A palavra do Mais Alto Magistrado do país, ansiosamente aguardada, sobre recorrentes denúncias envolvendo figuras do primeiro escalão do Serviço de Investigação Criminal num pretenso tráfico de drogas pesadas, nomeadamente cocaína, chegou, terça-feira, por via de dois Decretos - 31/23 e 32/23 - através dos quais o Presidente da República exonerou e seguidamente nomeou para postos mais elevados todas as entidades que têm sido recorrentemente associadas à maléfica prática.

“Doravante, já ninguém poderá atribuir ao Presidente da República qualquer omissão a respeito desse assunto.
Das decisões do PR, cada um que tire a sua ilação”, apelou Graça Campos.

Rate this item
(1 Vote)