Quarta, 17 de Julho de 2024
Follow Us

Terça, 05 Dezembro 2023 09:01

Líder da JURA detido por vandalismo a bens públicos em Cabinda

Um grupo composto de pelo menos 200 jovens munidos de diversos objectos protagonizou, na noite de sábado, actos de arruaça e vandalismo na vila de Buco-Zau, província de Cabinda, provocando a destruição de alguns bens públicos e privados

Pelo facto, o comando municipal da Polícia Nacional no Buco-Zau deteve, no domingo, o secretário-geral local da JURA, braço juvenil do partido UNITA, Júlio Bumba Muel, acusado de mobilizar um grupo de jovens para protagonizar os referidos actos de arruaça contra a operação de com- bate à exploração ilícita de ouro levada a cabo pelas autoridades na região.

Em declarações ao jornal OPAÍS, o comandante da Polícia Nacional na região, superintendente chefe António César Tati, afirmou que os seus efectivos em coordenação com outros órgãos de defesa e segurança iniciaram, na passada sexta-feira, 1, uma “operação de limpeza” nas zonas consideradas críticas onde se desenvolve a actividade de garimpo de ouro com grande intensidade.

No primeiro dia da operação, explicou, a Polícia apreendeu dez motorizadas que facilitavam a transportação dos compradores e dos garimpeiros nas áreas de exploração deste metal precioso. No dia seguinte, as forças da ordem realizaram uma barreira de contenção que permitiu a detenção de 10 garimpeiros provenientes das zonas de exploração ilícita de Penicácata e Chilute.

Segundo o superintendente chefe António César Tati, o “cidadão Júlio Bumba Muel, insatisfeito com as medidas da Polícia, por se tratar de um dos mentores da actividade ilícita de garimpo, e com o intuito de soltar os 10 garimpeiros detidos, mobilizou um grupo de jovens, também garimpeiros, e criou uma barricada no bairro Cruzamento do Caio, na entrada da vila de Buco-Zau.

O regedor da área tentou persuadir Júlio Muel a desistir daquela prática, mas este não aceitou, já que estava determinado em impedir que os elementos detidos pela Polícia chegassem ao Comando Municipal. “Felizmente, a nossa viatura conseguiu transpor a barreira”, referiu António Tati.

Insatisfeito com a situação e aproveitando-se da sua condição de líder juvenil, Júlio Muel mobilizou mais jovens e, com ele no comando, dirigiram-se à sede da vila de Buco-Zau munidos de vários instrumentos e outros objectos contundentes onde protagonizaram vários actos de arruaça e vandalização de bens públicos e de particulares.

Contactado pela ANGOP, o secretário municipal da UNITA no Buco-Zau, António Bufeca Vumbi Toco *Sankara*, admitiu o envolvimento do responsável da JURA no vandalismo e disse ter reportado a situação ao Secretariado Provincial da UNITA, na cidade de Cabinda, para os devidos procedimentos internos, dentro da ética e deontologia.

Rate this item
(0 votes)