Quarta, 29 de Junho de 2022
Follow Us

Quinta, 24 Fevereiro 2022 16:52

Empresas públicas angolanas passaram a publicar relatórios financeiros desde 2021

O presidente do conselho de administração do Instituto de Gestão de Ativos e Participações do Estado (IGAPE) disse hoje, em Luanda, que as 81 empresas públicas passaram a tornar públicos os seus relatórios financeiros​desde 2021.

Patrício Vilar, que procedeu hoje ao diagnóstico do setor empresarial público angolano, na cerimónia de apresentação do Roteiro para a Reforma do Setor Empresarial Público, destacou os passos significativos que o país deu nesse aspeto, que constituía uma preocupação a nível nacional e internacional.

“A esse propósito, deixem-me destacar que, nos últimos dois anos, demos passos significativos, reconhecidos até pelo próprio FMI [Fundo Monetário Internacional], e a prova disso é que as 15 maiores empresas publicam as suas contas nos seus 'sites' e no 'site' do IGAPE e, a partir do ano passado, passamos a publicar, das 81 empresas, todas as contas, bem como o relatório agregado”, frisou.

Segundo Patrício Vilar, apesar desses passos decisivos, no sentido da melhor qualidade do reporte financeiro, da sua transparência, “é preciso ir mais longe”.

“Bem mais longe. Temos que, primeiro, apostar no segundo eixo [do pacote de reformas] que é precisamente a eficiência da gestão”, referiu o responsável.

“Nós podemos ter modelos muito bonitos, mas se não tivermos quem os saiba executar, quem os saiba controlar, não vamos conseguir”, salientou.

Por sua vez, o administrador executivo do IGAPE, Augusto Kalilkemala, disse que Angola hoje tem legislação que obriga a ter reportes trimestrais, que ainda não são feitos.

“O que se pretende é criar uma ferramenta que facilite esses reportes trimestrais, permitindo assim que o acompanhamento seja mais eficiente”, salientou.

Augusto Kalikemala disse que a publicação das contas nos 'sites' e a contratação de auditorias conferem maior transparência.

No quadro da reforma que se pretende, o responsável salientou que passam a ser instrumentos para a prestação de contas o relatório de gestão, que envolve as demonstrações financeiras, o parecer do conselho fiscal e um relatório e parecer do auditor interno.

“Há uma ferramenta informática que está a ser desenvolvida, que é um instrumento que o IGAPE, enquanto supervisor do setor empresarial público, está a desenvolver, para facilitar o processo de recolha de informação que é relatada no relatório de gestão e as demonstrações financeiras e mais facilmente produzir a informação que deve ser divulgada no mercado”, frisou.

Rate this item
(0 votes)