Terça, 27 de Fevereiro de 2024
Follow Us

Sexta, 18 Agosto 2023 22:09

Defesa e segurança: Inteligência econômica

O sistema internacional move-se por várias direcções geopolíticas, geoestratégicas e geoeconômicas, sobretudo este último, após a II guerra mundial tomou as rédeas dos interesses estatais, portanto, hoje nas relações internacionais as guerras fazem-se muito mais por motivos econômicos do que propriamente por motivos políticos, diplomáticos, culturais ou ambições territoriais.

Na manutenção dos interesses nacionais e protecção das riquezas e recursos naturais e minerais do Estado, é fundamental a actuação da inteligência econômica, neste quesito, os órgãos de defesa e segurança do Estado têm o dever de assegurar o andamento equilibrado e estável da economia Nacional, de agir contra a espionagem econômica, espionagem corporativa ou industrial.

No exercício da colecta e análises de dados no âmbito econômico, vale lembrar que “as primeiras formas de inteligência econômica começaram com as actividades comerciais, as viagens e as expedições comerciais foram a melhor forma de recolha de informação e transmissão para meios geográficos distintos e longínquos, pois passou a haver um levantamento e um registo de informação, que permitia à preparação e o desenho de novos investimentos, mais adequados aos objectivos pretendidos” pelos agentes econômicos, agentes governamentais e actores internacionais não estatais.

Portanto, a inteligência econômica “é uma acção coordenada e sistemática de recolha, tratamento e difusão da informação útil para os actores económicos com vista à sua exploração para fins estratégicos e operacionais”. Na mesma linha de análise a Escola de Guerra Econômica de Paris define a Inteligência Económica como “pesquisa e interpretação sistemática de informação acessível à todos, com o objectivo de apurar as intenções dos agentes e de conhecer as suas capacidades e nela estão compreendidas as operações de vigilância, protecção e influência”.

Entorno do factor econômico «a inteligência e a espionagem» funcionam como uma coisa só porque as acções um do outro complementam-se e representam ao mesmo tempo um mecanismo estratégico para a manutenção dos interesses nacionais traçados pelos governos. A espionagem econômica ao lado da inteligência econômica, funciona como uma “acção que visa à obtenção de conhecimentos ou dados sigilosos cujo acesso indevido ou não-autorizado possa implicar a obtenção de vantagens econômicas para determinado Estado, ou para empresas consideradas vitais para a economia interna ou o desenvolvimento nacional desse Estado”.

A confluência e o introsamento massivo de vários interesses econômicos convergentes e não convergentes entre os Estados e as grandes corporações ou Multinacionais “face aos desafios colocados pela crise económica global, têm vindo a ser detectadas actividades de espionagem económica e industrial, junto de sectores estratégicos e de áreas relacionadas com o conhecimento, nomeadamente aquelas que encontram-se, associadas à inovação. Tudo isso releva a importância crítica desses sectores para os esforços no sentido da recuperação económica”.

Com a evolução cada vez mais crescente da globalização, sobretudo, o avanço no campo da tecnologia, a unificação do comércio internacional e da economia global, a Inteligência econômica tornou-se um instrumento de luta entre os Estados e não só, na qual organizações governamentais, empresas públicas, empresas privadas nacionais e internacionais, competem entre si para obterem vantagens nas suas acções geoconômicas e geopolíticas, de modo a alavancarem os interesses industriais e empresariais dos seus respectivos países.

A inteligência econômica obedece uma série de etapas, procedimentos, metodologias e dinâmicas, tais como:

“a) Pesquisa: Actividade de acompanhamento, recolha e investigação de informação. É feita a vigilância do desenvolvimento da actividade do sector pretendido e o levantamento e recolha da respectiva informação;

A - ) Pesquisa: Actividade de acompanhamento, recolha e investigação de informação. É feita a vigilância do desenvolvimento da actividade do sector pretendido e o levantamento e recolha da respectiva informação;

B - ) Tratamento: Manutenção de base de dados e de conhecimento, administração de dados, análise e síntese da informação;

C - ) Formulação de estratégias: Inovação, gestão de projectos, antecipação e controlo de riscos, avaliação dos efeitos das decisões.

D - ) Empreendimento de novas acções: Influência, acções correctivas, reposicionamento do projecto;

E - ) Avaliação dos efeitos: Estudos de impacto e troca de experiências”.

A inteligência econômica faz muita diferença nas relações internacionais, os Estados em base às suas estratégias governamentais, perseguem interesses econômico-comerciais, interesses corporativos e industriais. Nesse processo todo os serviços de defesa e segurança dos Estados (sobretudo as potências globais e regionais) procuram estar a dois passos a frente dos outros governos em termos estratégicos, mas quando seus projectos geoeconômicos não se concretizam por via da negociação e cooperação, dão lugar às tensões e aos conflitos, para obterem resultados favoráveis em prol dos seus programas estatais, demonstrando claramente a verdadeira face da «geopolítica».

Departamento Nacional de Políticas de Estado

Inteligência Econômica

Inteligência Militar

Diplomacia Militar

Planejamento Operacional Militar

Diplomacia e Economia

Diplomacia e Segurança

Diplomacia e Estratégias

Diplomacia e Relações Públicas

Diplomacia e Protocolos

Diplomacia e Comunicação

Diplomacia e Cooperação

Departamento Estratégico de Projectos Nacionais

Diplomacia Governamental

Diplomacia Presidencial

Conselheiro de Segurança Nacional

Competências Internacionais

Por: Leonardo Quarenta

Ph.D em Direito Constitucional e Internacional

Mestrado em Relações Internacionais: Diplomacia, Mediação e Gestão de Crises

Mestrado em Criminologia, Direito Penal e Políticas de Segurança

Formação em Conselheiro Civil e Militar

Formação em Geopolítica de África: O Papel da CPLP na Segurança Regional

Rate this item
(0 votes)