Segunda, 17 de Mai de 2021
Follow Us

Sábado, 17 Abril 2021 11:19

O MIREX não tem identidade académica nem diplomática

Onde ficam os funcionários do MIREX quando se debatem questões sobre o andamento da economia e do equilíbrio internacional? Onde andam os diplomatas angolanos quando o assunto é investigação técnico-científica, direitos humanos, instrução e desenvolvimento educacional?

Onde estão os bolseiros e os académicos do MIREX que nem sequer conseguem participar em grandes foruns, seminários e convénios internacionais?

O MIREX até o momento não sabe qual é a sua verdadeira função, em base ao seu Estatuto orgânico é competência do MIREX executar a política externa do País, mas na prática essa execução é mal feita, e se analisarmos bem não há diferença entre os turistas e os Embaixadores que temos, são representantes parados e sem visão político-diplomática, impreparados, sem espírito investigativo e pouca inclinação à formação, por isso somos um grande fracasso em quase tudo, sobretudo somos ineficazes diplomaticamente.

Estarei participando nesta Segunda-Feira no “Forum Global dos Estudantes das Universidades internacionais”, neste Forum Global estarão presentes representantes e presidentes dos estudantes de todo o Mundo, alguns reitores, decanos, membros ligados às organizações internacionais e diplomatas. Em base a lista que tive acesso possivelmente se farão presente aproximadamente 200 pessoas, a pergunta que faço é: porque não temos nenhum funcionário do MIREX neste Forum Global? Onde andam os bolseiros do MIREX?

Nunca tive bolsa de estudo por parte do nosso governo muito menos ajuda de algum político angolano mas sou altamente qualificado em muitas áreas do saber, a formação diplomática que tenho é apenas uma das minhas áreas, com muito sacrifício e sem ajuda do governo atingi níveis académico-universitários que vão muito além do normal, tenho vários diplomas universitários incluíndo o meu doutoramento concluído com muito sucesso 20/20.

Estarei nesse Forum Global representando a minha Universidade Angelicum, ao me verem aí muitos saberão que existe um País de nome Angola, isso acontece o tempo todo em muitos convénios em que participo, mas estarei aí não em nome de Angola muito menos em nome do MIREX (nunca fizeram nada por mim), mas em nome da Universidade Internacional Angelicum que muito me ajudaram no meu percurso académico, e a minha competência nesses foruns é sempre de tipo diplomático, porque essa é a minha natureza.

O MIREX não tem identidade Académica nem Diplomática, não conseguem formar quadros altamente preparados e qualificados, pode ser até que consigam formar alguns bons quadros, mas vendo a incompetência da Administração central do MIREX o que podemos concluir do resto? Se a cabeça não funciona o que esperar do corpo? Nada. Essa é a lógica.

 Os diplomatas angolanos são muito parados, não têm noção o quanto é exigente a diplomacia, são mais parados que a estátua do Agostinho Neto no 1° de Maio, com isso quero dizer que precisam ser mais dinâmicos, devem trabalhar mais em vez de exibirem o todo tempo fatos e gravatas, devem usar a cabeça no lugar da vaidade, e por causa dessas impreparações diplomáticas é que não consiguimos atingir grandes patamares na arena internacional. 

Se eu fosse Ministro do MIREX faria uma reforma de 360°, acredito que muitos demitiriam-se volontariamente, porque perceberiam que aí não é seu lugar por causa do rigor, e Eu não olho na cara (não me interessa se é filho desse ou daquele governador ou general) na hora de exonerar ou promover alguém, pra mim vale a competência. A meritocracia é fundamental dentro de qualquer instituição liderado por um dirigente sério e dinâmico.

O MIREX está tão bagunçado que é preciso alguém competente e rigoso para pôr ordem nisso, vejo e conheço vários diplomatas angolanos que fazem o que bem querem e ninguém diz nada, comigo isso não aconteceria, não tolero incompetências, gosto de trabalhar com resultados, os fracos profissionalmente jamais fariam parte da minha administração, só com rigor, mão-de-ferro (senso positivo) e um programa concreto político-diplomático é que as coisas funcionam, mas enquanto tivermos aí sempre os mesmos autores o MIREX se afundará cada vez mais, os que estão aí não têm projecto nenhum mas Eu tenho.

A Academia Diplomática Venâncio de Moura (antes Instituto Superior das Relações Internacionais Venâncio de Moura), é uma Academia que tem pouco a dar em termos de qualidade de ensino e formação político-diplomática. Muitos dos estudantes desta Academia (do Instituto) têm ligado e escrito pra mim, e manifestam a sua grande insatisfação por parte dos docentes, dizem claramente que não são preparados, desse jeito vamos continuar num dilema de fracassos atrás de fracassos, e a nossa diplomacia continuará no abismo.

O MIREX precisa de reformas profundas, precisa de novos quadros e de novos autores competentes, é urgente remover quase todos os embaixadores que temos, os jovens angolanos qualificados e bem formados precisam assumir o comando das nossas instituições diplomáticas, e há quem diz que o Ministério mais fracassado do País é o Ministério da energia e águas, outros dizem que é o Ministério da Saúde, ainda uns afirmam que é o Ministério da Educação e do ensino Superior.

Devo dizer que praticamente nenhum Ministério em Angola funciona bem, mas pra mim o MIREX é o Ministério mais fracassado do País, o MIREX precisa de alguém que tenha projecto, se não o MIREX será uma espécie de investimento inútil porque não há resultados significativos, o MIREX vai de mal a pior.

Eu e a Diplomacia a Diplomacia e Eu

Por Leonardo Quarenta – O Diplomata 

Ph.D em Direito Constitucional e Internacional

Mestrado em Relações Internacionais e Diplomacia

Master em Direitos Humanos e Competências Internacionais

Vice Presidente da SUPR - Assembleia Suprema dos Estudantes das Universidades Pontifícias e Católicas de Roma.

Representante Geral da Universidade Angelicum Junto Assembleia SUPR.

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up