Quinta, 21 de Janeiro de 2021
Follow Us

Segunda, 30 Novembro 2020 12:16

Os mais velhos precisam ouvir e compreender o grito da juventude angolana

Os Nossos mais velhos estão familiarizados com as dores da luta de juventude contra a pobreza, desemprego, e corrupção no País, eles sabem lidar com a vida quando tempos insuportáveis se perpetuam.

No entanto, não há absolutamente nenhuma razão para desrespeitar os mais velhos em nome da Angola que está a evoluir e a desejar uma população educada.

Além disso, o que a juventude está defender em termos de desenvolvimento e empoderamento da juventude é certo e louvável, mas, infelizmente, a abordagem parece desprezar os mais velhos. De modo geral, os velhos só reagem positivamente se a abordagem for coerente e respeitosa.

Em alternativa, o protesto juvenil que teve lugar na capital do país em   Luanda no dia 11 de Novembro de 2020, e se espalhou ainda mais como um incêndio, por todo o país, cuja principal agenda era o combate à corrupção, deveria ser uma epifania para os nossos mais velhos.

Pessoalmente, não acho que os nossos mais velhos estejam cientes dos perigos perturbadores de ter uma população jovem educada enfrentando altas taxas de desemprego, que tem que lutar para ser ouvida e, infelizmente, não recebe o aprendizado para se envolver em decidir o futuro dos angolanos.

Assim, o desenvolvimento e o empoderamento da juventude não devem ser usados apenas quando se adequam às agendas políticas. Os mais  velho ou as mulheres  com vasta experiência em realizar o trabalho, mas carece de educação e o jovem ou a jovem que é altamente educada, mas carece de experiência devido à falta de emprego, têm que se unir para colaborar e coexistir para a melhoria e cumprimento dos interesses nacionais, incluindo o futuro das gerações.

É muito lamentável para a juventude do mundo actual, porque a ênfase tende a favorecer indivíduos com sobrenomes proeminentes, em vez daqueles que estudam se encaixam nas demandas do curso de ação em questão.

Consequentemente, o que sufoca os impactos negativos dessas más ações a esse respeito é o desenvolvimento nacional e a justificativa para justificar porque os jovens precisam alcançar a educação.

É mais fácil falar do que fazer; para escrever e direcionar como as pessoas devem agir, infelizmente, a realidade é que todos nós temos nossas dificuldades que nos esforçamos para resolver a cada dia.

O jargão depreciativo constante para com os mais velhos  é desnecessário e, como resultado, há uma necessidade de respeitar cada velho  como se fossem nossos pais e o mesmo se aplica aos nossos mas velhos , eles devem proteger e estar atentos às questões que nos afectam, como fariam para seus filhos. Como diria o sábio, "o respeito vem em duas etapas imutáveis, dar e receber".

O mesmo respeito que concedemos aos nossos pais não deve ser diferente na forma como tratamos nossos líderes nacionais, apesar da familiaridade de seus portfólios nacionais. Muitas vezes o público tende a sempre elogiar a luta por algo que é processual e ignorar a forma de abordagem.

No entanto, nunca ficarei ao lado de pessoas que permitem que a arrogância e o status social da popularidade os levem a abordar questões de interesse nacional de maneira insolente.

Este comportamento não deve ser normalizado nem idolatrado, mas antes advertido.

No entanto, ainda estou para me surpreender com um ancião em nossa grande nação que recusaria uma indicação de membro do conselho para recomendar um jovem para o cargo.

O que há de errado em apostar em jovens competentes em nome do empoderamento? O que há de errado em fazer os jovens aprendizes? Os nossos mais velhos querem decidir o futuro de Angola sem o envolvimento da própria geração futura? Agradecemos aos nossos antepassados pela luta pela independência, não há como negar e, dada a oportunidade, teríamos nos juntado a eles.

Avançando, neste momento, a luta é pelo futuro, pelo desenvolvimento do nosso país e do continente africano em geral. Não há absolutamente nenhuma maneira de sermos capazes de alcançar o desenvolvimento continental quando temos combates internos e divisões dentro de nossos países.

Tal ideologias políticas diferentes está certo. No entanto, quando temos pessoas deixando seus partidos políticos (para começar seus próprios), que afirmam amar por causa de vinganças pessoais, desacredita o valor da política partidária e apresenta argumentos subjetivos sobre como um sistema multipartidário pode ser usado negativamente.

Em minha opinião, o que deve acontecer prontamente é que qualquer decisão que vise definir o futuro deve exigir que os mais velhos e os jovens façam um esforço conjunto em conjunto. Embora, possa ser praticamente impossível como país, temos a sorte de ter poucos jovens como membros da assembleia nacional e, para isso, é sua única responsabilidade representar de forma legítima a população jovem em geral.

Portanto, sempre que a Assembleia Nacional está tomando decisões que afectam a juventude e o futuro deste grande país, é responsabilidade do governo buscar e envolver nossos jovens parlamentares nas próximas eleições de 2022.

Por Temba Museta

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up