Sábado, 18 de Mai de 2024
Follow Us

Sexta, 15 Março 2024 16:10

BNA aumenta taxa de juro de 18% para 19% para controlar pressões inflacionistas

O Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou hoje o aumento das suas principais taxas de juro, decisão justificada pela “persistência de pressões inflacionistas na economia" e que visa contribuir para o controlo da liquidez em circulação.

As medidas foram hoje anunciadas pelo governador do BNA, Manuel Tiago Dias, em conferência de imprensa, após a reunião do Comité de Política Monetária.

Assim a taxa diretora (conhecida como taxa BNA) vai subir de 18% para 19%, a taxa de juro de facilidade permanente de cedência de liquidez de 18,5% para 19,5% e a taxa de juro da facilidade permanente de absorção de liquidez em 17,5% para 18,5%.

Manuel Dias destacou que a inflação mensal foi de 2,58% em dezembro, devido essencialmente à subida da classe “alimentação e bebida não alcoólicas”, correspondente a cerca de 70% da inflação observada no período.

Em termos homólogos, a inflação atingiu 24% em fevereiro.

Segundo o responsável do BNA, o comportamento dos preços dos alimentos resulta essencialmente da redução da oferta dos produtos de amplo consumo, tendo em conta redução das importações (-18,6% em fevereiro) e a insuficiência da produção interna.

"A nossas expetativas é que rapidamente se corrija o desequilibro entre oferta e procura", disse, sublinhando que a produção interna de bens está muito abaixo da taxa de crescimento da população e não tem sido compensada pelas importações, que também registam uma queda muito acentuada, acima dos 30%.

"Precisamos de encontrar mecanismos para que se corrijam estes desequilíbrios", reforçou.

Com base nas informações atuais, o governador do BNA estimou que, a partir do segundo semestre, as taxas de inflação mensais se situem abaixo das registadas no ano passado e se verifique uma tendência de desaceleração homóloga que conduza às previsões de 19% de inflação no final do ano.

O governador do banco central referiu ainda a entrada em circulação de novas notas de 1.000 e 2.000 kwanzas, anunciando para breve novas notas de 5.000 kwanzas, desmentindo a existência de volumes elevados de contrafação.

“No ano passado, temos registo de 2.500 notas contrafeitas”, indicou, afirmando que estão em circulação mais de 500 milhões de notas.

O vice-governador, Pedro Castro e Silva, questionado sobre o aumento das taxas para levantamento de dinheiro através dos Terminais de Pagamento Automático (TPA), adiantou que a decisão foi tomada para compensar os investimentos dos comerciantes nestes terminais.

Em 2023 foram feitos mais de 400 mil levantamentos através dos TPA, um crescimento de mais de 1.000%, destacou, salientando que também a rede de caixas automáticas continua a ser alargada

No ano passado existiam 3.548 caixas automáticas em todo o país, correspondendo a um aumento de 11% face a dezembro de 2022.

“Vamos continuar a observar filas, mas é nossa expetativa que a pressão será menor à medida que formos aumentando [o número de ATM]”, frisou o mesmo responsável.

A próxima reunião do CPM vai decorrer em Luanda em 16 e 17 de maio.

Rate this item
(0 votes)