Terça, 16 de Julho de 2024
Follow Us

Quarta, 12 Junho 2024 17:12

Marcolino Moco “comovido” com morte de França Van–Dúnem recorda o seu humanismo

O ex-primeiro-ministro angolano Marcolino Moco manifestou-se hoje “duplamente comovido” com a notícia "arrasadora" da morte do seu amigo Fernando José França Van-Dúnem, recordando o seu humanismo, simplicidade e o sorriso "meio maroto e brincalhão".

“Perdi um amigo, para mim é uma notícia arrasadora, especialmente por se tratar de uma pessoa com quem tive muitos momentos comuns nas plataformas mais elevadas das nossas funções públicas”, disse hoje Marcolino Moco em declarações à Lusa.

De acordo com o ex–governante angolano, Fernando José França Van-Dúnem, político e ex–embaixador de Angola em Portugal que morreu hoje, vítima de doença, era uma figura humana e bastante ponderada.

“Recordar, sobretudo, a figura humana que era França Van-Dúnem, um indivíduo sempre muito calmo, ponderado, muito modesto, num país em que observamos muita ganância, muita ambição, mas o França [Van-Dúnem] era o oposto destas formas que chegam a atingir o lamentável”, realçou.

O antigo primeiro-ministro angolano, deputado e ex-embaixador em Portugal Fernando José de França Van-Dúnem morreu hoje em Portugal, aos 89 anos, vítima de doença, disseram à Lusa fontes diplomáticas e parlamentares.

Numa nota de condolências enviada à agência Lusa, a embaixadora angolana em Portugal, Maria de Jesus Ferreira, expressou pesar pela morte de França Van-Dúnem, que considerou “defensor incansável e inquebrável dos melhores valores nacionalistas e do bem-estar do povo”.

Para Marcolino Moco, que disse ter privado vários momentos com França Van-Dúnem a nível da política e também na academia, este era das poucas pessoas que “não se deixou deslumbrar pela vida política e que cuidou sempre, muito mais, da vida profissional”.

“Uma paixão enorme pela vida académica e, também, como académico estou duplamente comovido”, expressou.

Defendeu ainda que Angola deve prestar um tributo maior à figura de França Van-Dúnem: “Tem de haver alguma coisa que lembre definitivamente o França pelo seu humanismo, sua simplicidade, sua modéstia, o seu sorriso eterno meio maroto e brincalhão, mas sempre humano e amigo”, notou.

França Van-Dúnem, nascido a 24 de agosto de 1934, foi primeiro-ministro de Angola por duas vezes, entre 1991 e 1992 e de 1996 a 1999, vice-ministro das Relações Exteriores e ministro da Justiça.

O antigo deputado da bancada parlamentar do MPLA, presidiu à Assembleia Nacional de 1992 a 1996 e foi ainda professor catedrático na Universidade Católica de Angola.

Rate this item
(0 votes)