Domingo, 14 de Julho de 2024
Follow Us

Sexta, 05 Julho 2024 13:53

Diplomata norte-americano reitera cooperação estratégica nos domínios político e económico com Angola

Os Estados Unidos da América pretendem reforçar a cooperação estratégica com Angola nos domínios político, económico e no apoio ao combate à corrupção, afirmou esta quinta-feira, em Luanda, o embaixador Tulinado Mushingi.

De acordo com embaixador norte-americano em Angola e São Tomé e Príncipe, que discursava na cerimónia do 4 de Julho (data da independência dos EUA), a parceria entre os dois países cresceu bastante este ano, reflectido nas visitas de altas entidades do seu país para Angola e Vice-versa.

“Este foi, de facto, um ano histórico nas relações EUA-Angola, pois recebemos em Angola os secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, da Defesa, Lloyd Austin, cinco senadores, a administradora da USAID, Samantha Power, bem como facilitamos um encontro entre os Presidentes Joe Biden e João Lourenço, na Sala Oval da Casa Branco, em Washington, DC”, sublinhou.

Referiu que Angola, Estados Unidos e parceiros do G7 estão a executar um projecto de infra-estrutura verdadeiramente transformacional: o Corredor do Lobito, cujo investimento inicial, o primeiro dos Estados Unidos em linhas férreas em África, ajudará a ligar mercados e comunidades angolanas e congolesas.

Tulinado Mushingi sublinhou que a linha férrea do corredor do Lobito vai também permitir conectar a região ao resto do mundo, gerando novos investimentos na agricultura, infra-estrutura digital e energia limpa.

“Em Maio último, os Estados Unidos finalizaram acordos com o Governo angolano para cerca de 1,4 mil milhões dólares de novos projectos de desenvolvimento que servirão os povos angolano e americano”, frisou.

Fez saber ainda que os EUA vai investir 900 milhões de dólares para a empresa "Sun Africa" gerar energia renovável para a rede eléctrica, projecto de 450 milhões da Acrow Bridge para construir 186 pontes em toda Angola, melhorando, assim, as infra-estruturas de transportes, assim como conectar a agricultura aos mercados, e 40 milhões para digitalizar a Rádio Nacional de Angola, alcançando 95 por cento da população.

No plano do combate à corrupção, Tulinabo Mushingi garantiu que os EUA continuam a apoiar Angola na eliminação "deste mal", aumentando assim, a transparência e a responsabilidade.

"Esperamos que as empresas americanas continuem interessadas em fazer negócios em Angola à medida que testemunham um ambiente de melhoria, expresso em políticas de boa governação e liberdade de imprensa", afirmou.

Tulinabo Mushingi concluiu dizendo que "só livre da corrupção Angola alcançará o seu objectivo, que é a diversificação da economia e a criação de empregos".

Rate this item
(0 votes)