Terça, 27 de Fevereiro de 2024
Follow Us

Sexta, 03 Março 2023 15:48

Líder da juventude da CASA-CE em Luanda foge do país após ameaças pelo MPLA com relatos de Kassule e Kamulingue

Em exclusivo para Angola24horas, Isidro Quiangala Ventura, Secretário Provincial da JPA-Luanda, braço juvenil da CASA-CE, fez denúncias graves contra elementos do partido no poder em Angola, MPLA, dando conta de que, depois de ter assumido o cargo de Secretário Provincial da JPA, braço juvenil da CASA-CE em Luanda, em 2021, a sua vida começou a ser um terror em silêncio.

De acordo com as declarações de Isidro Ventura, militantes dos Cap's do MPLA em Luanda, começaram proferir ameaças contra a sua integridade física, e, prometendo o pior, caso este fosse denunciar os factos a uma esquadra policial ou mesmo se levasse o caso à super estrutura da referida Coligação.

“O Senhor Casimiro, membro do MPLA e da comissão de moradores do Zango 3, A, antigo coordenador da comissão de moradores no distrito urbano do Sambizanga, bairro, Morro dos Boys, obrigou-me a ter que convocar uma reunião familiar, pois, dizia que os jovens do Bairro estavam a ser desviados por mim para a CASA-CE, os jovens são do MPLA, e que eu tinha que sair do bairro, como se de uma propriedade privada sua se tratasse”, denunciou, salientando que, seus tios, seu irmão (de feliz memória) e sua mãe, foram ter com este mesmo senhor para parar com as ameaças.

Segundo conta, depois de ter ocorrido isto, as ameaças começaram a intensificar e a ganhar outros contornos, pois mensageiros anónimos iam em sua direcção dizendo: “Estás a se mexer muito. És teimoso. Insista e verás. Você sabe bem o que fizemos com Kassule e Kamulingue!”

“Todos sabemos o que aconteceu com os nossos irmãos Cassule e Comolingui. Foram mortos e seus corpos jogados ao rio para alimentar os jacarés. Estas eram as palavras que os indivíduos mensageiros traziam para me aterrorizar”, observou, Ventura.

Esclareceu ainda que, em setembro de 2022, foi alvo de calúnias que o levaram à detenção e condução para a esquadra do Zango 4, sob acusação de que era violador de menores. “Não havendo provas que sustentassem a calúnia e difamação, fui solto no mesmo dia. Graças a Deus, os meus amigos jornalistas, haviam me alertado que, circulava no seio dos Militantes do MPLA partido no poder, a informação de que um líder juvenil vai desaparecer politicamente”.

“No mesma dia, jornalistas de distintos órgãos ligavam para o Presidente da Coligação, Manuel Fernandes e ao Presidente do Grupo Parlamentar, Alexandre Sebastião André, para saber sobre as razões da minha detenção. Não tendo nenhum dado que sustentasse o suposto crime, prontamente entraram em contacto comigo para apurar os factos e lhes foi informado que já estava resolvida a situação, e que, era uma forma de me eliminar”, detalhou.

Entretanto, realça que pelo tom da ameaça, a sua família preferiu abafar a situação e internamente resolveu-se que devia sair de Luanda, mas sem que soubessem o seu destino, tomando, então, o voo em janeiro último para o exterior do país.

Estando já no exterior, a sua esposa o informou que em casa esteve um senhor forte e careca, que disse à menina que estava em casa no momento, que ele sabia que Ventura viajou, numa altura em a esposa estava no trabalho. “Pretendia entrar em casa a força, mas graças a Deus, a menina teve tempo de fechar a porta, evitando com que o mesmo indivíduo tivesse acesso a minha casa. A minha esposa deu a conhecer, de seguida, ao coordenador do edifício sobre o sucedido.

Ao Angola24horas, Isidro Ventura relevou que tem informação de seus amigos ligados ao partido no poder, MPLA, que há homens à procura dele, tentando saber aonde se encontra.

“Não sou criminoso, apenas procuro libertar a mente dos jovens, presa pelo regime ditador do MPLA. Neste momento a minha família corre perigo de vida. Estes foram os casos com um tom mais alto, porque os outros sempre foram de tom baixo”, apelou o político.

Rate this item
(1 Vote)