Sexta, 02 de Dezembro de 2022
Follow Us

Sábado, 13 Novembro 2021 22:18

MPLA quer usar tribunais para “extinguir ou domesticar” a UNITA, diz dirigente deste partido

Um destacado dirigente provincial da UNITA acusou hoje o partido no poder, o MPLA, de levar a cabo uma campanha contra Adalberto Costa Júnior e a proposta Frente Patriótica Unida por temer o seu impacto nas próximas eleições.

Falando numa conferênncia para escolher delegados ao próximo congresso do “Galo Negro” em Dezembro, o secretário provincial do partido em Malanje Mardanês Agostinho Calunga disse que o partido vive “uma crise interna imposta pelo adversário político [MPLA]”.

Calunga disse que o recente acordão do Tribunal Constitucional que anulou o anterior congresso da UNITA e com isso a eleição de Adalberto Costa Júnior para a presidência visa extinguir, ou domesticar daquela organização por via dos tribunais.

Adalberto Costa Júnior a criação da frente Unida Patriótica com o Bloco Democrático e o Pra Já Servir Angola amedrontam o MPLA “que ficou possuído de medo como um gato escaldado”.

O MPLA já negou várias vezes qualquer envolvimento numa campanha para destruir a UNITA afirmando não recear este partido e não ter tempo para gastar em querelas e problemas internos da UNITA.

A conferência provincial preparatória da UNITA em Malanje que sustenta o lema “Unidade e cidadania para alternância” elegeu cinco membros para a Comissão Política Nacional em representação dos militantes de Malanje.

A vida interna da UNITA e a situação social e económica da circunscrição foram analisadas na reunião deste sábado.

Adalberto Costa Júnior é o único candidato à presidência da UNITA cuja presidência foi reassumida temporáriamente por Isaías Samakuva na sequência da decisão do Tribunal Constitucional.

Costa Júnior pode agora iniciar a sua campanha oficial na segunda-feira pois a sua candidatura j’a foi validade pela Comissão de Mandatos do partido. VOA

Rate this item
(1 Vote)