Quinta, 11 de Agosto de 2022
Follow Us

Sábado, 28 Dezembro 2013 17:27

Reação ao discurso de fim de ano do Presidente da Republica

É espantoso, intrigante e quase inacreditável o que acabamos de ouvir na voz discursiva habitualmente altiva do presidente do regime! É estranho que o presidente precisa-se de permanecer trinta e quatro anos no poder para notificar o país da existência desconfortável de um absoluto abandono e total desrespeito pela constituição atípica que ele mesmo criou para dela se proteger e continuar incólume no poder, pois o primeiro prevaricar da constituição é o próprio presidente que nunca a respeitou.

De uma coisa os Angolanos maioritariamente excluídos sabemos do descaramento mentiroso do nosso presidente vitalicio, e afirmar isso não significa insultar o ditador.

De uma coisa posso afirmar ninguém pode pôr defeito e/ou duvidar do descaramento desavergonhado do nosso presidente, sobretudo a da sua falta de caráter e de vergonha. Essa afirmação justifica-se com a astúcia incrementada pelo presidente, que aleivosamente denunciou descaradamente com precisão e com grande lata a mistura, que a existência irregular da pena de morte que opera clandestinamente a longo tempo no país é uma verdade real, pois saiba também presidente, que essa pena de morte oculta é  injustificadamente imposta pela natureza do seu regime que mata para se defender!

 Mas o mais delirante mesmo foi ouvi-lo falar com todo desplante e com o descaramento que lhe é peculiarmente conhecido, que é contra a sua própria politica inconsequente de restringir  direitos e ainda afirmar que é contra a  existência do desrespeito das autoridades pela diferença religiosa, politica e da condição social de cada cidadão! Claramente aqui fica demonstrada mais uma colossal mentira ousada do chefe falacioso do regime déspota!

É claro que aqueles que como eu, que se opõem a governação desastrosa de JES e do seu MPLA ficaram tão de boca aberto quanto eu e muitos outros camaradas do MPLA atentos! Pois para o presidente chegar a essa conclusão bastava olhar os privilegiados que garbosamente se assentaram em torno da sua mesa na festa natalícia! Aí querido presidente de alguns angolanos cegos perceberia de imediato, que o pais vivencia uma profunda crise existencial de identidade provocado pela desregular governação, e por consequência o povo  vive entristecido com a sua vida miserável e sobretudo com as praticas desafiantes do nepotismo presidencial, da corrupção que graça e com  a roubalheira da sua família e as dos seus mais diretos assistentes que graça em todo país.

Os Habituais discursos de Eduardo dos Santos não nos levaram a lugar nenhum, e com certeza que o povo não enche a barriga nem obterá emprego e a sua liberdade nem porá fim dos assassinatos de que padece o povo da angola profunda, por força dos discursos frequentes do presidente vitalicio angolano.

O presidente discursista sabe bem que o chefe da casa de segurança militar Kopelipa e seu sobrinho Bento Kangamba, traficante de carne humana feminina para prostituição, dentre outros, ordenaram os assassinatos de  Cassule e Kamulingue e mais tarde o seu  comandado direto, o guarda pessoal do presidente  assassinou friamente o nosso jovem engenheiro Manuel Hilberto Ganga membro da juventude patriótica da CASA-CE , antes porem,  humilharam e aprisionado o pobre adolescente Nito Alves e o transformou em preso politico. A pergunta que não se cala é: Afinal em que planeta vive o presidente da republica? Vive por acaso no incontornável paraíso da ilusão emblemática do país das maravilhas?

É preciso ter estomago para que, depois de trinta e quatro anos no poder o ditador venha agora com discursos alienadores e cheios de considerações descabidas e declara que não existe a pena de morte no país da corrupção, do nepotismo, da fome e dos assassinatos politico seletivos por ter sido abolida na constituinte de 1991! Sabemos todos que não existe sim respeito nenhum pela vida humana no país do pirilampo, e enquanto Eduardo dos Santos continuar no poder os promotores e os executores da pena de morte clandestina  no país de Dos Santos, continuaram ensoberbados na sua triste campanha da morte de angolanos encoberta pela justiça e pelo presidente da republica!

A Permissão da pena de morte é autorizada pela casa de segurança militar do presidente da república situada no palácio da cidade alta.

A pena de morte pode não constar na constituição de JES, mas no palácio da cidade alta a pena de morte está muito bem patente no cardápio politico de sua excelência o presidente absolutista. Quanto ao blá blá do crescimento da economia angolana, o presidente precisa de em primeiro lugar exonerar os ministros que se coloram ao governo e hoje são tão depreciativamente parecidos com os horrores que a fome e a miséria que o regime impôs voluntariamente ao povo desprotegido, abandonado a sua existencial sorte sofrida.

Segundo, o presidente precisa de  se aconselhar com pessoas que tenham de facto alguma coisa para aconselhar, se o presidente quer alterar a sua imagem junto de toda a sociedade nacional, devera de imediato retirar de sena aqueles que não possuem nada mais para acrescentar de bom para a governação do país,  que não seja a corrupção, o nepotismo e a bajulação. Presidente mande os economistas bajuladores para os quintos do inferno e coloque ao seu serviço verdadeiros tecnocratas bem pagos para conduzirem o país rumo a fonte da verdade econômica para que o país cresça e engrandeça o povo com o bem estar social, e isso só aparece com muito trabalho e nunca com a intriga, a violência, a bajulação e muito menos com a mentira politica.

Torna-se cada vez mais incontornável a importância necessidade de dialogo frontal, livre e aberto no interior do Mpla e em todo país humano.

Sei que conselho fosse bom não se dava, vendia-se e a bom preço, mas ainda assim vou teimosamente dar-lhe um conselho presidente: O país precisa  dialogar urgentemente com os donos do poder absolutista que está sobre sua liderança, presidente o país que é de todos nós e não seu e muito menos dos seus familiares que pouco ou nada fizeram pela luta de libertação nacional!

 Abra os olhos presidente e  coloque ao seu serviço jovens inteligentes para dialogarem seriamente com o país humano. Não envie ninguém do seu embrutecido Bureau politico nem do seu apalermado comitê central nem homens com idade jovem mas completamente envelhecidos e embrutecidos pela pratica das suas ambições desmedidas a exemplo do secretario geral da JMPLA que nada mais faz do que mostrar a sua riqueza e banga de deputado matumbo, arrogante, e miserável mentiroso, que tem  afugentado constantemente os militantes que ajudariam a juventude partidária e não só a ter um eventual crescimento saudável.

O País precisa passar por um momento verdadeiro de dialogo franco e aberto para não sucumbir, de outro modo ninguém mais acreditara em nada e muito menos na morte, pois a Angola profunda precisa de passar por momentos de profundas mudanças para melhorar o seu estado de espirito.

O País vive a beira de uma gravíssima implosão social

Torna-se verdadeiramente  penoso ouvir o mesmo discurso infundado do presidente a mais de trinta e quatro anos. São sempre as mesmas palavras, os mesmos trocadilhos, em suma os mesmos dizeres e nada de realizações prestáveis para o melhoramento da vida do povo! O país politico é o mesmo, o país econômico em nada se alterou para melhorar diretamente o povo nacional e o país social esta cada vez mais a beira de uma flagrante implosão, ou é mentira camaradas?

O presidente da republica tem de perceber que o povo está cansado do seu habitual monologo discursivo, que em nada acrescenta de verdade para que haja mais cidadania! Na verdade os frequentes discursos do presidente não  evidenciam verdadeiramente a existência de qualquer tipo de  dialogo sério e verdadeiro com o povo.

O povo não quer discursos vazios e sem fundamento algum, o desejo do povo é que o regime deixe de irregularidades de enriquecimento fácil dos governantes e que os dinheiros roubados sejam utilizados para trazer a eletricidade, água potável nem esgotos  que o povo não possui, que as politicas publicas exclusivistas sejam substituídas por uma galopante inclusão social acrescida de horizontes novos que satisfatoriamente tragam riqueza e emprego que ajude o povo a saciar a fome e a cede!

Será que o presidente nesses trinta e quatro anos de poder absoluto, não se deu conta que são sempre os mesmos sôfregos  oportunistas aventureiros a governar a coisa pública nacional? E que somente as pessoas ligadas ao seu circulo pessoal têm riqueza exageradamente acumulada?

Por acaso o presidente ainda não se deu conta que somente as pessoas pertencentes ao seu circulo, e principalmente aqueles que formam o seu elã pessoal têm finanças para viver ricamente no país que Deus deu a todos angolanos?

Precisamos de um governo do qual nos orgulhemos, precisamos de um presidente no MPLA apologista do dialogo e que esteja rodeado de pessoas de bem e com bom caráter. O país precisa urgentemente de começar a a caminhar orgulhosa e seguramente confiante para frente, chega de conversa fiada, a mudança no MPLA faz-se necessária.

No meu entender, faz-se necessário que existe um flagrante embate forte de ideias discordantes no relacionado com o pensamento politico e ideológico no interior do MPLA para engrandecer a independência do pensamento individual de cada membro responsável do partido.

Temos que colocar urgentemente um ponto final no dispensável culto de personalidade personificado no presidente do Mpla e da republica! Temos de repensar o Mpla e sobretudo angola que é de todos nós.

Chega da exagerada timidez desesperante no relacionamento entre o povo militante do MPLA e o seu presidente, que se ponha um ponto final ao culto de personalidade que não passa de um falacioso embuste organizado na medida certa pelos arautos defensores do totalitarismo militante, para intimidar rigorosamente aqueles que desejam fazer carreira politica aspirando ao cargo mais alto do partido e porque não a de presidente da república.

 Acredito pessoalmente  que essa falsa maneira de engrandecer espiritualmente o líder atual do MPLA tornando-o como quase deus não passa e uma clara malvadez intimidadora para afugentar os eventuais candidatos membros do partido MPLA com ambição legítima de se candidatarem livremente para tentar chegar ao pólio.

Por acaso José Eduardo dos Santos é o único que nasceu com direitos especiais para ser presidente da republica? Sou do MPLA e tenho certeza que no país somos todos especiais e qualquer um de nós poderá ser um bom e respeitável presidente, muito amado, eleito para servir a nação futura com elegância, respeito e plena sabedoria. Valente e abençoado é o povo cujo Deus é o Senhor JESUS.

Raul Diniz

Rate this item
(0 votes)