Quinta, 18 de Julho de 2024
Follow Us

Domingo, 02 Julho 2023 10:45

Rei Zulu da África do Sul hospitalizado em Essuatíni com suspeita de envenenamento

O rei Zulu, o mais poderoso governante consuetudinário da África do Sul, cuja coroação em 2022 desencadeou uma guerra de clãs no seio da família real, foi hospitalizado na vizinha Essuatíni, com o palácio a referir um possível envenenamento.

Num comunicado divulgado no sábado à noite, o Palácio Real refere que Misuzulu Zulu, 48 anos, também conhecido como Misuzulu kaZwelithini, "foi hospitalizado em Essuatíni depois de ter adoecido" na manhã do mesmo dia.

Mangosuthu Buthelezi, primeiro-ministro zulu e membro influente da família real, afirmou no comunicado que a hospitalização do rei Zulu se seguiu à morte súbita do seu principal conselheiro, pelo que manifestou "grande preocupação".

"[O conselheiro do rei] morreu subitamente e suspeita-se que tenha sido envenenado. Quando Sua Majestade começou a sentir-se mal, suspeitou-se que também tinha sido envenenado", explicou Buthelezi.

O rei preferiu procurar tratamento em Essuatíni, antiga Suazilândia e a última monarquia absoluta de África, do que na África do Sul, onde os seus pais "foram tratados e morreram".

"Sua Majestade foi colocada sob cuidados médicos e está de boa saúde", disse o palácio, acrescentando que deixaria às autoridades a tarefa de investigar um eventual caso de envenenamento.

Segundo várias fontes policiais de Essuatíni, o soberano está a ser tratado no hospital privado de Ezulwini, a poucos quilómetros da residência real de Ludzidzini - a Aldeia Real de Ludzidzini é o lar da Casa de Dlamini, a família real de Essuatíni, atualmente liderada por Ngwenyama Mswati III e Ndlovukati Ntfombi.

"Foram criados bloqueios de estrada e agentes armados no hospital", disse uma das fontes à agência noticiosa France-Presse (AFP).

Na África do Sul, os soberanos e os chefes tradicionais são reconhecidos pela Constituição. Apesar de reis sem poderes executivos, exercem uma profunda autoridade moral e são venerados pelo seu povo.

Misuzulu Zulu foi coroado no ano passado na província de KwaZulu-Natal, no sudeste do país, numa cerimónia a que assistiram muitos dos cerca de 11 milhões de zulus, quase um em cada cinco sul-africanos.

Filho do falecido rei Goodwill Zwelithini e um dos favoritos, a coroação desencadeou uma guerra palaciana liderada em especial pela primeira mulher do antigo rei, que teve seis esposas e pelo menos 28 filhos.

Em setembro de 2022, um conselheiro de Misuzulu Zulu foi misteriosamente morto a tiro à margem de uma cerimónia tradicional.

Rate this item
(0 votes)