Domingo, 26 de Mai de 2024
Follow Us

Sexta, 03 Outubro 2014 21:51

Estado Islâmico divulga execução de mais um refém britânico - C/VIDEO

Alan Henning com o jihadista conhecido como "Jihadi John". Britânico é o quarto refém estrangeiro morto pelo Estado Islâmico - HO / AFP Alan Henning com o jihadista conhecido como "Jihadi John". Britânico é o quarto refém estrangeiro morto pelo Estado Islâmico - HO / AFP

LONDRES — O Estado Islâmico divulgou um vídeo no qual o taxista britânico Alan Henning aparece, momentos antes de ser executado. A autenticidade do vídeo foi confirmada pelo primeiro-ministro bnritãnico, David Cameron, que afirmou que a execução é "uma prova da barbárie do Estado Islâmico". Henning foi o quarto refém ocidental executado pelo grupo, depois dos jornalistas americanos James Foley e Steven Sotloff, e do agente humanitário escocês David Haines.

O executor no vídeo parece ser o mesmo homem dos vídeos anteriores, mas sua voz foi bastante manipulada. Na semana passada, o FBI afirmou ter identificado o homem nos vídeos do grupo jihadista, mas manteve sua identidade em segredo. O jihadista, conhecido como “Jihadi John”, foi descrito por reféns como “inteligente, educado, e um devoto fiel dos ensinamentos islâmicos radicais”.

Henning já havia aparecido em um vídeo anterior divulgado pelo Estado Islâmico, no qual o escocês David Haines foi decapitado. No final do vídeo, intitulado "Uma mensagem aos aliados da América", o carrasco de Haines é visto segurando Henning pela gola do macacão laranja em que ele estava vestido e dizendo com um sotaque britânico: "Se você, Cameron, persistir na luta contra o Estado Islâmico, então você, assim como seu mestre Obama, terá o sangue de seu povo em suas mãos".

O mais recente anúncio de execução foi feito três dias após dois caças britânicos bombardearem pela primeira vez alvos do Estado Islâmico, juntando-se aos Estados Unidos e seus aliados árabes.

Na terça feira, a esposa do suposto executado, Barbara Henning, gravou um vídeo implorando ao grupo que poupasse sua vida e permitisse que ele voltasse para sua família.

Henning tinha 47 anos e dois filhos. Natural de Salford, subúrbio de Manchester, o taxista elevava ajuda humanitária à Síria quando foi sequestrado pelo Estado Islâmico em dezembro. Há três semanas, o Estado Islâmico avisou que o taxista seria o próximo a morrer, caso a coalizão continuasse a realizar ataques contra o grupo jihadista.

oglobo

Rate this item
(0 votes)