Quinta, 27 de Janeiro de 2022
Follow Us

A consultora Oxford Economics Africa considera que o crescimento de 0,8% em Angola no terceiro trimestre de 2021 mostra "os primeiros sinais de uma recuperação económica mais significativa" este ano, prevendo uma expansão de quase 3%.

Ao todo, em dívida comercial Angola tinha por pagar no final do III trimestre do ano passado 38.082,0 milhões, em que 89% desse valor representava dívida a bancos e o restante a fornecedores. Já a dívida bilateral (país a país), mais barata que a comercial, tem vindo a cair ano após ano.

A consultora Fitch Solutions prevê que a moeda de Angola ganhe 15,1% este ano, para 514,39 kwanzas por dólar, depois do forte ano de 2021, e melhorando face às outras principais moedas africanas.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considera que a diversificação da economia de Angola, ainda muito dependente das receitas do petróleo, é a principal prioridade e é determinante para garantir um crescimento económico sustentável e inclusivo.

O economista-chefe do Banco Fomento Angola (BFA) disse hoje não esperar uma derrapagem significativa nas contas públicas em Angola devido às eleições, defendendo o cadastro imobiliário e a Segurança Social como reformas importantes para os cidadãos.

O Produto Interno Bruto (PIB) de Angola aumentou 0,8 por cento no terceiro trimestre de 2021, interrompendo nove trimestres de quedas sucessivas, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano.

A cotação do barril de petróleo Brent para entrega em março terminou hoje no mercado de futuros de Londres em alta de 0,53%, para os 86,52 dólares.

Página 1 de 387

Log in or Sign up