Quinta, 02 de Dezembro de 2021
Follow Us

Segunda, 31 Mai 2021 17:42

SPA Maryssaty da esposa de Major Pedro Lussaty confiscado pela PGR

A Procuradoria-Geral da República (PGR), através do Serviço Nacional de Recuperação de Activos (SNRA), confiscou o Spa de beleza, Maryssaty, uma propriedade passada em nome da esposa, Marisa António, localizado no Lar do Patriota, em Luanda.

A apreensão do referido imóvel, ocorreu no último sábado, 29 de Maio, por suspeitas de que tenha sido erguido com fundos desviados.

Dados apurados, avançam que o spa de beleza, apreendidos por ordens da PGR, foi registado na altura em que Pedro Lussaty deixou de trabalhar para a UGP, em 2018.

À dada altura, segundo fonte do Angola24Horas, Lussaty tinha orientações de apresentar-se no Estado Maior das Forças Armadas Angolanas (FAA), porém nunca lá chegou.

O Maryssaty, espaço de Saúde e Beleza, está em nome da esposa do major, Marisa António, residente em Lisboa com os dois filhos do casal.

Pedro Lussaty, é igualmente proprietário de uma empresa de informática Pedro Lussaty,SOFT Lda, uma firma que existe desde 2009, estando registada em nome de seu filho Anderson João Manuel Lussaty, cuja idade não foi revelada, para além de outra imobiliária HIPÓTESETROPICAL, LDA, em Portugal, encontrando-se, por esta altura encerrada.

De salientar que, durante o primeiro interrogatório de 4 horas a que foi submetido, no dia 27 deste mês, pela Direção Nacional de Investigação e Ação Penal (DNIAP), Pedro Lussaty, major das Forças Armadas Angolanas (FAA), assumiu ser o único proprietário do dinheiro e de outros bens encontrados consigo no momento da detenção.

Uma fonte ligada à referida investigação, avançou que Pedro Lussaty, que até Novembro de 2017 esteve ligado à Casa de Segurança do Presidente da República, terá confessado que tudo foi adquirido ao longo dos últimos anos, através de poupanças e de negócios transparentes.

Na ocasião, o major tido como pessoa de muita emoção falácia e ostentador, garantiu igualmente que pode provar a titularidade dos mesmso bens se o processo for introduzido em tribunal.

No entanto, Lussaty descartou também a possibilidade de a fortuna pertencer a outras figuras, entre as quais altas patentes das FAA, exoneradas recentemente pelo Presidente da República, João Lourenço.

O Major das FAA, Pedro Lussaty, ex-funcionário de um dos serviços da Casa de Segurança da Presidência da República (era de JoséEduardo dos Santos), foi detido a 18 de Maio, ao tentar, presumivelmente fugir com duas malas contendo somas avultadas de dinheiro em dólar e Euro.

O Chefe das Finanças da Banda Musical da Presidência da República, Major Pedro Lussaty, foi detido, quando transportava as referidas malas carregadas com mais de 10 milhões de dólares e mais de 4 milhões de euros, cujos proprietários não referiu, alegando apenas que procurava retirar do país.

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up