Segunda, 17 de Mai de 2021
Follow Us

Quinta, 22 Abril 2021 20:13

Jovens promovem marcha contra lixo em Luanda e desafiam proibição do governo provincial

Um grupo de jovens convocou uma manifestação de protesto contra a acumulação do lixo em Luanda, já proibida pelo governo provincial, que acusam de adotar "dois pesos e duas medidas" consoante as iniciativas

Israel Campos, um dos promotores da manifestação “Luanda Lixada”, marcada para 01 de maio, explicou à Lusa que a carta comunicando a realização da manifestação foi endereçada ao Governo Provincial de Luanda (GPL) em 21 de abril, tendo este respondido “em tempo recorde” no dia seguinte, declinando o pedido.

“Não faz sentido. Ainda há duas semanas houve uma marcha relativa à violência contra as mulheres na qual participei, bem como dirigentes do Estado. Não houve problemas e, no final, até a ministra discursou. Porque é que algumas iniciativas são permitidas e outras não? Porque é que não podemos reclamar da situação do lixo, das moscas e dos mosquitos?”, questionou o jovem jornalista, que também esteve ligado ao protesto contra a brutalidade policial em setembro de 2020.

Na resposta aos organizadores, o GPL justifica a proibição com o decreto presidencial 77/21, de 26 de março, que proíbe a concentração de mais de 10 pessoas na via pública devido à covid-19.

Um critério que, segundo Israel Campos, não tem sido aplicado noutras ocasiões, nomeadamente em iniciativas partidárias que têm ocorrido em todo o país, com enormes aglomerados “onde muitas vezes nem se respeita o distanciamento”.

Na sua página da rede social Instagram, o jovem partilhou imagens recentes de ajuntamentos na marcha das mulheres, em Luana e de atos partidários com militantes do MPLA, partido do poder, e da UNITA, principal partido da oposição.

Campos disse à Lusa que a pandemia é uma preocupação dos jovens e que vem expressa na comunicação endereçada ao GPL, onde se lê que os promotores da manifestação asseguram o “cumprimento de todas as medidas de biossegurança orientadas pelas autoridades sanitárias nacionais”.

A marcha pacífica prevê iniciar-se às 11:00 no Largo das Heroínas rumando até à marginal onde os jovens pretendem manter-se até as 18:00, em sinal de protesto.

O objetivo é “manifestar a insatisfação pública generalizada pela problemática do lixo em Luanda e das consequências que o aumento considerável de insetos, como as moscas e mosquitos, trarão para a saúde pública, bem como promover uma campanha de educação ambiental para despertar a consciência dos próprios cidadãos”.

O lixo acumulado tem sido uma preocupação para os munícipes da capital angolana, face às toneladas de detritos que têm inundado as ruas e os bairros, desde a suspensão dos contratos com os operadores de gestão dos resíduos, em dezembro de 2020.

No final de março, o GPL anunciou que sete empresas iriam começar a fazer a recolha de lixo, mas o problema ainda não está resolvido.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up