Quarta, 07 de Dezembro de 2022
Follow Us

Segunda, 04 Julho 2022 12:24

Projeto chinês vai levar água potável a 600 mil habitantes em Cabinda

Um empreiteiro chinês concluiu um projeto que irá assegurar o abastecimento de água potável a cerca de 600 mil habitantes de Cabinda, a província mais a norte de Angola.

O sistema de abastecimento, implementado pelo grupo estatal chinês China Railway Construction Corporation (CRCC), é composto por 74 pontos centralizados, com capacidade para fornecer 50 mil metros cúbicos de água por dia.

O projeto irá cobrir 24 mil famílias em 92% das áreas urbanas de Cabinda, permitindo aliviar a escassez de água potável em áreas como indústrias locais, escolas e transporte portuário, sublinhou a agência noticiosa estatal chinesa Xinhua.

Em outubro de 2020, o CRCC anunciou que já tinha terminado as obras principais de uma rede de distribuição de água para servir a capital da província de Cabinda.

O grupo chinês disse ter instalado um tubo de ferro fundido a uma profundidade de seis metros na Zona Alta da cidade de Cabinda, fechando assim a rede de distribuição primária, com uma extensão de 88 quilómetros.

O CRCCO referiu ainda que o reforço do sistema de abastecimento de água a Cabinda iria melhorar a qualidade da água fornecida a cerca de 30 mil habitantes da capital e do distrito vizinho de Lândana.

O empreiteiro disse que iria completar a instalação da rede de distribuição secundária de água, com uma extensão de 200 quilómetros, que inclui chafarizes e ramais de ligação domiciliária.

O sistema de abastecimento de água potável, o maior do género em construção em Angola, foi atribuído em 2016 ao CRCC, num contrato no valor de 88,8 milhões de dólares (85,2 milhões de euros).

Em janeiro, o Presidente angolano João Lourenço tinha autorizado ainda a abertura de um concurso público para a construção de 43 tanques de água elevados com capacidade de 100 metros cúbicos na Província de Cabinda, no valor de 2,5 mil milhões de kwanzas (quatro milhões de euros).

Em agosto de 2021, o CRCC anunciou ter vencido um contrato para a construção de subestações elétricas que irão fornecer eletricidade a minas de manganésio na província de Malanje, no oeste de Angola.

Rate this item
(1 Vote)