Segunda, 26 de Setembro de 2022
Follow Us

Quinta, 16 Junho 2022 23:46

Milhões de barris de petróleo por dia só têm valor quando se reflectem na vida do cidadão

O porta-voz do Projecto Político ESPERANÇA, David Nascimento, afirmou esta quinta-feira, 16 de Junho que Angola, tal como a maior parte dos países de África, tem sérios problemas na transformação da riqueza natural em riqueza real.

De acordo com o político, em exclusivo para Angola24horas, esta é uma medida que em parte só é possível quando o crescimento econômico significa muito mais do que alimentar os anseios daqueles que confundem o conceito de "servidor público".

E, sublinha, se nestes anos todos de paz não se percebeu qual o caminho para o desenvolvimento, não será agora que o mesmo virá a ser percebido.

"Tivemos uma experiência única com o petróleo em 2008, onde a produção chegou a 1,903 milhões de barris por dia, mas que infelizmente ao invés de proporcionar desenvolvimento gerou uma oligarquia", reparou.

Também, disse que a realidade demonstrou que o provimento de fundos públicos para um certo grupo sem capacidade administrativa gera caos.

"Por isso é que podemos ver a presença de um cépticismo generalizado, porque tem sido a nossa experiência crescer e não desenvolver", atirou Nascimento.

Refira-se que, a produção de Angola caiu de 1,183 milhões de barris diários bombeados em abril, para 1,162 milhões em maio, mas beneficiou de uma queda ainda superior por parte da Nigéria, cuja produção caiu de 1,219 milhões de barris em abril, para 1,024 milhões no mês seguinte, perdendo assim a liderança dos maiores produtores na África subsaariana.

No relatório mensal da OPEP, com destaque nacional esta quarta-feira, são apresentados dois tipos de dados relativos à produção: por um lado, a OPEP calcula a produção para exportação com base em fontes secundárias, mas apresenta também os dados que são disponibilizados pelos próprios países produtores.

De acordo com os números enviados pelas autoridades de Angola e da Nigéria, o país lusófono ultrapassou a maior economia africana, mas tendo em conta os dados calculados pela OPEP com base nestes fontes secundárias, então a Nigéria mantém a liderança entre os maiores produtores de petróleo na África subsaariana.

Os dados com base em fontes secundárias mostram que a Nigéria, apesar de ter tido uma redução na produção de cerca de 45 mil barris por dia, bombeou 1,306 milhões de barris de petróleo por dia em abril, e 1,262 milhões em maio, acima dos 1,176 milhões de barris produzidos em Angola, que praticamente manteve a produção entre abril e maio.

Em maio, os 13 países da OPEP produziram, de acordo com as fontes secundárias da organização, uma média de 28,5 milhões de barris por dia, o que é cerca de 176 mil barris diário a menos do que em abril.
A produção de Angola, a rondar os 1,1 milhões de barris por dia, está em linha com a estimativa apresentada recentemente pela ministra das Finanças, que reviu a previsão de crescimento económico para 2,7% do PIB este ano.

A Ministra das Finanças, Vera Daves de Sousa, em conferência da Bloomberg, em Maio último, disse que foi revista a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto [PIB] para este ano para 2,7%, considerando o mesmo ritmo de 1,14 milhões de barris de petróleo por dia e um preço a rondar os 100 dólares.

Rate this item
(0 votes)