Quinta, 19 de Mai de 2022
Follow Us

Segunda, 17 Janeiro 2022 18:57

António Venâncio diz que o pais está ficar sem rumo e defende que TC deve decidir sobre futuro dos partidos

O Engenheiro Civil, António Venâncio, militante do MPLA e pretendente ao cargo de presidente do partido emque milita há 48 anos, considerou que o país está a ficar sem rumo, e mentes incendiárias começam a ganhar terreno.

De acordo com Venâncio, segundo soube Angola24horas é importante que o Tribunal Constitucional, na sua sapiência decida, com a diligência que lhe tem caracterizado, sobre o futuro dos partidos políticos angolanos, cujos congressos foram contestados.

Recorda-se que, o pedido de impugnação do VIII Congresso Ordinário do MPLA que elegeu João Lourenço, entre 9 à 11 de dezembro do ano passado, remetido ao Tribunal Constitucional pelo militante António Venâncio foi aceite por este órgão de Estado, segundo um documento divulgado.

De acordo com o mesmo documento, datado de 10 de janeiro, o recurso que solicita a anulação do VIII Congresso Ordinário do MPLA que reelegeu o presidente João Lourenço foi admitido, ficando na responsabilidade do tribunal a sua avaliação.

Em nota de imprensa, a 10 de janeiro, a Secretaria Judicial do Tribunal Constitucional notificou o Engenheiro António Venâncio de que aceitou conhecer a acção de impugnação do VII Congresso do MPLA.

A defesa de António Venâncio disse na ocasião tratar-se de uma formalidade processual.

"A notificação, claro está. Lembrando que "coube ao juiz conselheiro Carlos Teixeira".... Será, portanto, o relator. O juíz Carlos Teixeira foi crítico de vários aspectos da revisão constitucional (de que foi relator) e não compareceu na sessão plenária que votou a acção de impugnação do XIII congresso da UNITA. Por isso (e por outras observações) alguns jovens que hoje no perfil de Joaquim Lunda insultaram o engenheiro António Venâncio, repetem o mesmo erro: não perguntam, insultam. Insultaram o engenheiro António Venâncio. Gratuitamente. Dispensam argumentação. Têm certeza sobre todas as coisas e não duvidam de nada. Ora, não é assim. Há que ter elevação e saber elaborar um raciocínio minimamente lógico.
O mandatário", conforme Felisberto da Costa, mandatário de António Venâncio.

Vale ainda lembrar que a equipa jurídica de António Venâncio, cabeça da qual se encontra o renomado advogado Sérgio Raimundo, havia protocolado a 21 de Dezembro, junto da secretaria judicial do tribunal constitucional a referida acção principal de impugnação do VIII congresso do MPLA.

Rate this item
(0 votes)