Quinta, 22 de Abril de 2021
Follow Us
Terça, 26 Novembro 2013 14:29

Assassinato de jovens indigna o país!

A indignação social contra aos assassinatos dos dois jovens associados à manifestação convocada pela UNITA generalizou-se em toda escala nacional.

Posicionamento político em Angola é coisa de torcida furiosa e organizada e isso, às vezes, impede que algumas pessoas, para não dizer mesmo a maioria das pessoas, enxerguem o óbvio.

O que se passou este fim-de-semana em Luanda e noutras cidades e vilas do país ainda não sei muito bem, em termos de referência, como vai marcar a longa e penosa transição angolana (mais de 20 anos) para um regime democrático devidamente consolidado e adulto, desiderato que, aparentemente, se está a distanciar do horizonte quando olhamos para o calendário local.

Ouvindo ontem um dos entrevistados da TPA, que falava sobre a morte do dirigente juvenil da Casa CE, fiquei estupefacto com a logica vanglorista do "eu avisei que haveria mortos e feridos". Pior, a justificação da morte com a violação do perímetro de segurança do PR.

A UNITA “tomou a decisão correcta” ao convocar a manifestação para protestar contra o desaparecimento dos activistas Alves Kamulingue e Isaías Cassule, disse.o activista e jornalista Rafael Marques no programa “Angola Fala Só”.

O regime do Terrorismo de estado, de Jose Eduardo Dos Santos em Angola, demonstrou ontem a África, e O regime do Terrorismo de estado, de José Eduardo Dos Santos em Angola, demonstrou ontem a África, e ao mundo civilizado, de que JES, foi o verdadeiro autor, dos Assassinatos de Alves Kamulingue, e Isaías Kassule.

O investigador Eugénio Costa Almeida defendeu hoje que a presença do presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, no país "era exigível" neste momento para acalmar os ânimos, uma vez que "continua a ser o suporte da unidade nacional".

Editorial publicado pelo Jornal de Angola (Mpla) sob titulo "A manipulação da verdade" que apresentamos na integra.

Página 246 de 252

Log in or Sign up