Segunda, 26 de Outubro de 2020
Follow Us

Segunda, 03 Agosto 2020 23:29

Carta Aberta ao Ministro das Relações Exteriores de Angola

Cordiais Saudações Sua Excelência Senhor Téte António, que a paz e a harmonia estejam sempre do seu lado, da sua família, colegas, simpatizantes e amigos.

Respeitosamente, em nome de todo o povo angolano residente na diáspora gostaria que o Senhor Ministro esclarecesse algumas dúvidas que a muito vem assolando as nossas comunidades no exterior e não só, sendo o povo fiscalizador das acções e funções dos dirigentes da sua própria Nação, é oportuno e justo que Sua Excelência respondesse algumas das nossas questões pontuais.

Senhor Ministro, como é do conhecimento nacional e internacional as nossas embaixadas trabalham muito mal, isso não é novidade para nenhum angolano, visto que Sua Excelência é agora o gestor máximo do MIREX, que estratégias o Senhor tem para melhorar o funcionamento das nossas missões diplomáticas? O seu programa de reforma quando é que entrará em vigor? Os diplomatas não qualificados e incompetentes continuarão exercendo suas funções ou serão exonerados?

Excelência como Ministro das Relações Exteriores de Angola que projectos foram traçados para que se possa promover e difundir o bom nome do País na diáspora? Sendo assim, quais são os meios e instrumentos envolvidos nesses projectos de modo que haja resultados positivos? E como será de hoje em diante a questão dos recrutamentos locais nas embaixadas angolanas? Visto que esses regramentos são feitos de forma desorganizada baseando-se no nepotismo e no amiguíssimo?

Excelência até quando teremos dentro das nossas instituições diplomáticas funcionários à cima da idade e sem qualificações adequadas para serviços consulares? Porquê que funcionários mal preparados continuam ocupando funções chaves e de decisão nas nossas embaixadas e consulados? Será que fomos condenados a ter uma diplomacia fracassada?

Excelência todos nós humildemente queremos ouvir e saber as respostas das perguntas feitas, porque o País é de todos nós, e não é possível que em pleno século XXI (2020) Angola continua decaindo diplomaticamente mais rápido que a “velocidade do vento”. E a incompetência por parte da maioria dos nossos diplomatas até quando vai ser tolerado? Até quando isso vai durar? E o mal funcionamento das nossas embaixadas será que não tem data de expiração?

É inacreditável todos esses factos tristes, é hora de Sua Excelência fazer uma verdadeira reforma dentro do MIREX, falo de reformas concretas, não de reformas superficiais, e é necessário trabalhar com todos, principalmente é hora de promover os jovens qualificados e competentes em matérias político-diplomáticas, jovens que possam dar tudo por Angola e pelos angolanos, jovens comprometidos com os interesses nacionais e das nossas comunidades na diáspora, muito trabalho precisa ser feito caso queiramos levantar a nossa diplomacia.

A diplomacia angolana é uma diplomacia parada, precisa ser mais sacudida, mas para isso as nossas missões diplomáticas necessitam urgentemente de diplomatas dinâmicos, activos, tácticos, dotados de grandes conhecimentos no âmbito técnico-diplomático, fora disso seremos sempre um fracasso.

Sua Excelência Téte António noto muito silêncio por parte do MIREX sobre o processo de Inspecção levada a diante pela IGAE (Inspecção Geral da Administração do Estado) ao MIREX sobre a gestão do Ex Ministro das Relações Exteriores Manuel Augusto, foram encontradas ou não irregularidades de má administração? Quando é que o povo irá ter informações concretas sobre o caso em questão?

Muitos dos nossos diplomatas pensam que diplomacia é como se fosse um “buffet” coberto de “paraíso”, outros pensam que é um “conto de fadas” onde o “Príncipe Azul” corre atrás da “Branca de Neves” para ter um final feliz mesmo sem fazer esforço para conquistá-la, mas a vida real político-diplomática é diferente do mundo das fantasias e das imaginações, se quisermos estar entre as melhores diplomacias a nível internacional, temos que trabalhar arduamente e levar mais a sério as nossas responsabilidades diplomáticas.

Hoje eu não vou conseguir dormir de tanto pensar na diplomacia angolana!

«Eu e a Diplomacia»

Por Leonardo Quarenta

Doutorando em Direito Constitucional e Internacional

Mestrado em Relações Internacionais e Diplomacia

Master em Direitos Humanos e Competências Internacionais

Rate this item
(1 Vote)

Log in or Sign up