Quinta, 22 de Fevereiro de 2024
Follow Us

Segunda, 28 Agosto 2023 12:32

Governo angolano "injecta" 183 milhões de dólares para produção de alimentos

O Governo angolano disponibilizou 153 mil milhões de kwanzas (183 milhões de dólares) para apoio à produção de alimentos e proteína animal, no âmbito das suas medidas de estímulo à economia, foi hoje anunciado.

De acordo com um comunicado de imprensa do Ministério das Finanças de Angola, para o financiamento da campanha agrícola 2024 foi realizada a emissão de garantia pública no montante de 43 mil milhões de kwanzas (51,3 milhões de dólares), com maturidade de 12 meses e taxa de juros de 7% ao ano, sendo financiador o Banco Angolano de Investimentos (BAI).

Para o mesmo fim, foram capitalizadas algumas instituições financeiras, nomeadamente o Fundo de Garantia de Crédito (FGC) com 50 mil milhões de kwanzas (55,2 milhões de euros), o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), com 20 mil milhões de kwanzas (22 milhões de euros), o Fundo Angolano de Capital de Risco (FACRA), com cinco mil milhões de kwanzas (5,5 milhões de euros) e o Fundo de Apoio de Desenvolvimento Agrário (FADA), com cinco mil milhões de kwanzas (5,5 milhões de euros).

Ao Ministério da Agricultura e Florestas de Angola foi feita uma dotação orçamental de 30 mil milhões de kwanzas (33,1 milhões de euros) para adquirir insumos agrícolas no sentido de apoiar a agricultura familiar.

“O Ministério das Finanças esclarece que as referidas capitalizações concretizam a medida de apoio financeiro ao setor empresarial, com foco nas pequenas e médias empresas, de modo a agilizar e facilitar o acesso a recursos financeiros, por parte dos operadores privados com iniciativas conducentes à diversificação económica nacional e ao reforço da segurança alimentar do país”, refere-se no comunicado.

No documento salienta-se que a disponibilização da linha de financiamento contratada ao BAI tem como objetivo promover o desenvolvimento da produção agrícola nacional, bem como potenciar os produtores comerciais de grande, média e pequena dimensão.

Enquanto os recursos financeiros disponibilizados ao BDA “traduzem a reafirmação do foco do executivo em recentrar o referido banco no exercício da sua função de apoiar na potenciação da diversificação em setores com alto potencial de gerar dividendos ao crescimento económico, de criação de empregos e à resiliência da economia nacional, assegurando-se concomitantemente, do fortalecimento da segurança alimentar nacional, por via da operacionalização do Planapesca, Planapecuária e o apoio a iniciativas no âmbito do desenvolvimento agrícola”.

Já os recursos financeiros disponibilizados ao FACRA visam apoiar iniciativas no âmbito da segurança alimentar, através do desenvolvimento de cadeias logísticas para facilitar o armazenamento, beneficiamento primário, conservação e o escoamento dos centros de produção agrícola.

Por sua vez, os recursos financeiros disponibilizados ao FADA visam apoiar as Caixas Comunitárias de cooperativas agrícolas, os quais serão operados e disponibilizados pelo FADA em condições bonificadas, designadamente a uma taxa de juro máxima de 7% ao ano.

Rate this item
(0 votes)