Segunda, 28 de Novembro de 2022
Follow Us

Segunda, 11 Agosto 2014 05:29

Novo Banco poderá herdar dívida de 3,3 bilhões do BESA

O Novo Banco poderá ficar com o empréstimo de 3,3 bilhões de euros que o antigo BES concedeu ao BES Angola (BESA) e que as autoridades angolanas não vão pagar enquanto não estiver concluído o processo de saneamento daquele banco, apurou o Diário Económico. 

Não é ainda claro se a transferência deste activo vai implicar perdas futuras para o Novo Banco, ou se, pelo contrário, permitirá à instituição liderada por Vítor Bento permanecer no mercado angolano, através da conversão de dívida em capital.

Em causa está uma linha de ‘funding' que o BES concedeu ao BESA. Segundo as fontes contactadas pelo Económico, o empréstimo em questão está entre os activos que ficaram na posse do banco ‘mau' (BES S.A.), mas o seu destino final ainda não foi decidido, podendo passar para o Novo Banco, em condições por definir.

Na semana passada, o Banco de Portugal (BdP) divulgou uma lista de activos do antigo BES, que refere os que ficam no banco ‘mau' e os que passam para o Novo Banco, liderado por Vítor Bento. Esta lista coloca a participação accionista do BES no BESA no lado do banco ‘mau', mas é omissa em relação ao empréstimo concedido à subsidiária angolana.

No entanto, os números preliminares do balanço do Novo Banco, de 30 de Junho, divulgados no site da CMVM, referem já um ajustamento de 3,3 mil milhões de euros relativo a aplicações em instituições de crédito. A confirmar-se que este ajustamento diz respeito ao empréstimo ao BESA, indicará que aquele activo será transferido para o Novo Banco com risco zero. Ou seja, as eventuais perdas estarão provisionadas a 100% e tudo o que Luanda pagar será considerado ganho.

Futuro do BESA depende de solução para dívida ao BES

O tema do empréstimo ao BESA está a ser tratado ao mais alto nível. Segundo o jornal angolano "O País", que cita fontes financeiras em Luanda, as autoridades locais não querem que o BESA fique ligado ao banco ‘mau' e consideram que o futuro modelo accionista do BESA estará dependente da "solução a encontrar para a dívida ao BES". Solução essa que será negociada pelo BdP e pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

O BES (banco ‘mau') tem 55,71% do BESA, estando esta participação avaliada em 669,2 milhões de euros. Os outros accionistas de referência são os grupos angolanos Portmill e Geni, que controlam, respectivamente, 24% e 18,99% do capital.

Na sexta-feira, o mesmo jornal noticiou que a dívida ao BES não será paga enquanto não estiver concluído o processo de saneamento do BESA, na sequência da intervenção que a instituição sofreu após o resgate do BES. O BNA calcula que a intervenção no BESA demore pelo menos um ano, diz o "O País". O que dá bastante tempo para encontrar uma solução para a futura estrutura accionista do banco, em conjunto com as autoridades portuguesas.

 economico.pt

Rate this item
(0 votes)