Sexta, 30 de Setembro de 2022
Follow Us

Terça, 15 Março 2022 18:52

Deputado da UNITA critica PR e diz que grandes hospitais erguidos em Luanda vão operar com maioria de estrangeiros

Hospital Sanatório de Luanda Hospital Sanatório de Luanda

O Primeiro vice-presidente do Grupo Parlamentar da Unita, Maurílio Luiele, disse que a estratégia de comunicação do Presidente da República, coordenada pelo CIPRA é multicêntrica e envolve órgãos diversos do Estado e renomados profissionais de comunicação, mas, sinceramente, muitas vezes se compagina com o célebre adágio que diz "a montanha pariu um rato".

Segundo Maurílio Luiele, recentemente Adalberto Costa Júnior visitou Israel e logo que as imagens deste no muro das lamentações viralizaram, o CIPRA tratou de noticiar que o Presidente da República manteve uma conversa telefónica com o Presidente de Israel.

"Coincidência?

Por estes dias ACJ visitou os Estados Unidos da América, numa visita em que, nas palavras do Jornalista Graça Campos, ACJ terá saído de lá de "barriga cheia" aproveitando o facto do posicionamento dúbio de Angola em relação ao conflito do século que opõe a Rússia à Ucrânia e, por esta via ao Ocidente como um bloco.

A UNITA, disse, como se sabe, tomou uma posição clara de condenação da invasão da Ucrânia pela Rússia, posição que foi bem apreciada pelos EUA e europeus e que mereceu uma deselegante contestação do embaixador de Moscovo em Luanda.

De acordo com o Membro de direcção da UNITA, o CIPRA com a agilidade que lhe caracteriza não se fez esperar e anunciou a deslocação para breve de João Lourenço para a Cidade de Orlando, na Flórida para "consultas médicas de rotina".

Será apenas coincidência?

Recorda que, não faz muito tempo, o Ministro de Estado, Chefe da Casa Civil, Adão de Almeida esteve em Cuba para assinar um acordo para o envio de médicos especialistas para garantir o funcionamento dos recém-inaugurados Hospital Cardeal D. Alexandre do Nascimento e Instituto de Hematologia Dra Victória do Espírito Santo.

"A escolha de Cuba está baseada na longa história de cooperação neste domínio, mas, sobretudo numa crença firmada de solidez e grande capacidade do sistema de saúde de Cuba. Então porque razão João Lourenço preferiu fazer as suas "consultas médicas de rotina" em Orlando e não em "La Habana" que fica a escassas milhas mais abaixo? Para os sofisticados hospitais onde os pobres angolanos terão que recorrer e eles próprios deles fugirão, os cubanos servem, mas para o Presidente da República, cuja "generosidade" e "clarividência" permitiu construir os referidos hospitais, só servem os americanos? Isto é sério?", questionou Maurílio Luiele.

Segundo o político, nos últimos 10 a 15 anos, grande parte dos especialistas em medicina (diversas especialidades médicas) foram formados pelo Hospital Militar Principal, pela Clínica Sagrada Esperança, Clínica Multiperfil e Girassol, sendo que na maior parte dos casos estas unidades desenvolveram planos de formação em cooperação com instituições portuguesas e brasileiras e foram muito bem sucedidas.

Como se sabe, sublinha, estas clínicas são inacessíveis aos angolanos comuns, por isso, todos estes especialistas formados com dinheiros públicos (se tivermos em conta a natureza societária destas clínicas) estão apenas ao serviço de uma elite restrita de angolanos e de um punhado de expatriados.

Fez anida saber que, no sistema público angolano, as áreas que mais especialistas formaram foram a pediatria, Hospital David Bernardino e ginecologia-obstetrícia, Maternidade Lucrécia Paim, acrescentando que.qualquer um destes casos, o sucesso deveu-se mais a um envolvimento das direcções dos hospitais do que de uma orientação política do MINSA?

"E aqui destacamos, de modo muito particular, o engajamento do Professor Luís Bernardino que teve inúmeras vezes que se opor a incompreensíveis resistências das autoridades a ponto de hoje ser colocado praticamente no degredo. É o preço que infelizmente o Professor Bernardino está a pagar pela grande obra que ergueu em Angola", lamentou.

Frisou então que, todos estes dados podem ser demonstrados por números facilmente disponíveis e servem para ilustrar que a longa cooperação com Cuba, no domínio da saúde não trouxe grandes ganhos para Angola no que toca a formação de especialistas. "Pode até ter contribuído em grande medida para o crescimento do número de licenciados em medicina (o que é bom), mas contribuiu muito pouco para a formação de especialistas (que seria excelente)".

E, acrescentou, compreende-se a retracção de Cuba no domínio da formação de especialistas. O negócio de envio de médicos especialistas a Angola e outros países que "mordem a isca" rende muitas divisas para aquele país caribenho a braços com uma crónica crise econômica, fruto das sansões impostas pelos americanos.

"Assim, até por uma questão de solidariedade seria sensato João Lourenço fazer as suas "consultas médicas de rotina" em Cuba, em vez de torrar milhares de dólares com os "imperialistas yankees"! É hora de pararmos de fingir o nosso desdém pela sociedades abertas, livres e desenvolvidas, quando ao fim do dia e na calada da noite queremos os grandes benefícios para a humanidade que estas sociedades trouxeram: as extensas liberdades e o desenvolvimento econômico. São perfeitas estas sociedades? Claro que não, mas são incomensuravelmente melhores que as nossas e todas aquelas que procuram o modelo russo como referência", disse Maurílio Luiele.

Entretanto, considerou que, o que a estratégia de comunicação conduzida pelo CIPRA indica é que ACJ vem a frente, tendo o Presidente da República ter que correr a sua trás. "É um ratinho para uma máquina de comunicação do tamanho do Luvili".

Rate this item
(0 votes)