Quinta, 25 de Abril de 2024
Follow Us

Quinta, 04 Janeiro 2024 21:09

João Lourenço lamenta morte de uma “personalidade de grande prestígio”

O Presidente angolano expressou o seu pesar pela morte, hoje em Lisboa, de Rui Mingas, uma “personalidade de grande prestígio”, que várias vezes representou Angola “com talento, competência e dignidade”.

Numa nota endereçada à família, João Lourenço frisou que Rui Mingas começou por elevar o nome de Angola no atletismo profissional em Portugal e, desde cedo, se afirmou como compositor e cantor, como símbolo de resistência contra o poder colonial.

“Pertencem-lhe vários clássicos da música angolana, entre eles a música do Hino Nacional”, sublinhou o chefe de Estado angolano na sua mensagem.

João Lourenço realçou ainda os cargos de responsabilidade política desempenhados por Rui Mingas na Angola independente, tanto a nível interno como externo, tendo sido deputado à Assembleia Nacional, secretário de Estado da Educação Física e Desporto, embaixador e reitor de uma universidade privada.

Segundo o Presidente angolano, a sua morte empobrece o país e deixa luto à sua família e toda uma vasta legião de amigos e companheiros de trabalho.

“A todos, em particular a sua viúva e filhos, expressamos as nossas condolências e os nossos sentimentos de pesar”, concluiu.

Rui Mingas, de 84 anos, que morreu hoje em Lisboa vítima de doença prolongada, foi embaixador de Angola em Portugal na década de 1990, tendo sido condecorado, em 26 de julho de 1995, com a Ordem do Infante D. Henrique, que distingue quem tenha prestado serviços relevantes a Portugal, assim como serviços na expansão da cultura portuguesa ou para conhecimento de Portugal, da sua História e dos seus valores.

Coautor com Manuel Rui Monteiro de “Angola Avante”, o hino de Angola, Rui Mingas, natural de Luanda, foi também praticante de atletismo nas décadas de 1950 e 1960, tendo competido no salto em altura e nos 110 metros barreiras, conquistando um recorde nacional de Portugal, em 1960.

Rate this item
(0 votes)