Terça, 01 de Dezembro de 2020
Follow Us

Segunda, 26 Outubro 2020 20:54

Sindicato exige que Polícia justifique detenções de jornalistas

O Sindicato de Jornalistas Angolanos (SJA) condenou hoje o comportamento da Polícia Nacional, pela detenção de jornalistas, durante a manifestação de sábado, e exigiu uma justificação para tal reiterado comportamento para com os profissionais da comunicação social.

Numa nota, a que agência Lusa teve acesso, o SJA considera que as sucessivas e arbitrárias detenções dos jornalistas no exercício das suas funções, como ocorreu no último final de semana, retira à Polícia Nacional a autoridade moral para reclamar dos cidadãos o respeito às leis do país.

"A detenção de quatro jornalistas e um motorista, da Rádio Essencial, por mais de 48 horas, e outros três por algumas horas, da Zimbo e da Agência France Press, traduz-se não apenas no desrespeito à profissão dos jornalistas, mas à própria Constituição da República de Angola, que investe a Polícia Nacional de autoridade pública para garantir a ordem e proteger os cidadãos", refere a nota.

Para o SJA, a polícia prestou, mais uma vez, "um mau exemplo de uma instituição que se quer republicana e ao serviço dos cidadãos", exigindo que o Comando Geral da Polícia justifique o comportamento reiterado dos seus agentes para com os jornalistas no exercício das suas funções, que são constitucional e legalmente reconhecidas.

Ao ministro das Telecomunicações e Comunicação Social, o SJA agradece o empenho para a libertação dos jornalistas, arbitrariamente detidos.

Por outro lado, o SJA apela à sociedade a cessar com as ameaças à integridade física dos jornalistas da Televisão Pública de Angola, apesar de reconhecer o direito que tem de exigir um jornalismo plural e de qualidade.

"Num estado democrático e de direito, o SJA recorda que quaisquer ofensas aos direitos devem ser reparados pelas instâncias competentes criada pelo Estado", sublinha a nota.

Também a Associação dos Repórteres de Imagem de Angola (ARIA) fez sair um comunicado de imprensa, no qual manifesta a sua solidariedade para com os colegas jornalistas que foram detidos em pleno exercício da sua atividade profissional e que foram confundidos com manifestantes no passado sábado.

"Para o bem do jornalismo angolano, apela a quem de direito a libertação dos referidos profissionais", lê-se no documento.

Em causa está uma tentativa de manifestação no passado sábado, frustrada pela polícia, em cumprimento ao decreto presidencial do estado de calamidade pública, que no âmbito das medidas de combate e prevenção da covid-19 faz algumas restrições, entre as quais o ajuntamento nas ruas de mais de cinco pessoas.

Os protestos resultaram em confrontos entre manifestantes e as forças da ordem, que resultou em centenas de detenções, entre as quais de jornalistas.

Rate this item
(0 votes)

Log in or Sign up