Menu
RSS

Governo otimista com previsão de crescimento de 4,9% em 2018

Governo  otimista com previsão de crescimento de 4,9% em 2018

O ministro de Estado e do Desenvolvimento Económico e Social de Angola, Manuel Nunes Júnior, disse hoje estar otimista com a estimativa de crescimento da economia angolana, de 4,9% do Produto Interno Bruto (PIB), para 2018.

O governante falava aos jornalistas no final da sessão da Assembleia Nacional que aprovou hoje a proposta de lei do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, apenas com votos favoráveis do MPLA, partido maioritário.

Manuel Nunes Júnior considerou "louvável" o exercício de interação entre os deputados, que permitiu melhorar de maneira significativa o orçamento, sobretudo na área social.

"O orçamento que entrou aqui não é o mesmo que sai agora e aqui há uma evolução bastante importante e significativa, sobretudo na área da educação e saúde, que são setores fundamentais para o desenvolvimento do país e para a melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano", disse.

Sobre o voto contra da UNITA, principal bancada parlamentar da oposição, Manuel Nunes Júnior considerou "normal em democracia", considerando, entretanto, que "o mais importante" é ter agora "um instrumento de governação, com o apoio confortável e que o executivo agora vai tratar a sua execução".

Relativamente às estimativas de crescimento, o ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social considerou que "há sempre formas diferentes de ver o mesmo problema".

"E geralmente não há convergência, mesmo nas economias mais avançadas há sempre revisões que se fazem às estimativas. O orçamento tem uma estimativa de crescimento que foi feita com base em fundamentos considerados importantes e credíveis, a evolução da realidade vai permitir manter essas estimativas ou não", indicou.

Devido à realização de eleições em Angola em agosto de 2017, e como prevê a legislação angolana, a entrega da proposta de lei do OGE pelo novo Governo foi feita apenas em dezembro e o documento aprovado hoje só deverá entrar em vigor no início de março.

Na versão inicialmente entregue pelo Governo angolano no parlamento - entretanto alvo de várias recomendações aprovadas e com impacto financeiro -, as contas do Estado angolano para 2018 previam um défice de 697,4 mil milhões de kwanzas (2.670 milhões de euros), equivalente a 2,9% do PIB, traduzindo-se no quinto ano consecutivo de 'buraco' nas contas nacionais.

Estima despesas e receitas de 9,658 biliões de kwanzas (37.000 milhões de euros) e um crescimento económico de 4,9% do PIB.

"Mesmo nas economias modernas mais avançadas do mundo há sempre revisões da estimativa de crescimento, está-se constantemente a fazer revisões das estimativas de crescimento, vamos trabalhar para que a estimativa que temos de crescimento, que nós temos, se mantenha, mas se houver alguma necessidade de revisão não seremos os primeiros do mundo a o fazer", acrescentou hoje o ministro Manuel Nunes Júnior.

.
.
.
.
back to top

Recomendamos